COSEMS-PB alerta municípios para aplicação da dose de reforço, também chamada de D3

O Conselho dos Secretários Municipais de Saúde da Paraíba (COSEMS-PB) alertou para que os gestores esclareçam a população que a aplicação da terceira dose ou dose de reforço da vacina contra Covid independe da faixa etária e do imunizante. Só deve procurar os locais de vacinação para receber a 3ª dose, as pessoas que tomaram as duas doses da vacina há pelo menos seis meses.

De acordo com a presidente do COSEMS-PB, Soraya Galdino, não é adequado colocar idade nas publicações da dose de reforço. “O certo é fazer o chamamento para que as pessoas que tomaram a segunda dose há seis meses, independentemente da idade e do imunizante que tenha recebido quando se coloca só a idade acaba confundindo algumas pessoas que vão ao posto atraídas pela idade, mas que não tem seis meses da segunda dose pois muitos idosos de 70 ou mais iniciaram sua vacinação bem depois e por isso não tem 6 meses de fechamento do esquema vacinal e acabam com uma expectativa frustrada”.

O COSEMS-PB também está convocando a população que se vacinou no tempo certo e está apto a se vacinar novamente a aderir à vacinação. “Graças ao avanço da campanha de vacinação em vários municípios, a terceira dose, ou dose de reforço já é uma realidade nas cidades paraibanas. Solicitamos o apoio e adesão de todos para com esta dose reforçarmos nossas forças e nossa esperança no combate a esta pandemia”.

Serão contemplados todos os idosos que receberam as duas doses de qualquer imunizante utilizado CoronaVac, AstraZeneca ou Pfizer), desde que a segunda dose tenha sido aplicada há, no mínimo, seis meses.
Além dos idosos, o Ministério da Saúde liberou a dose de reforço para pessoas imunossuprimidas que tomaram a segunda dose (ou dose única) há pelo menos 28 dias.Neste grupo incluem-se quem tem imunodeficiência primária grave, os que fazem quimioterapia para câncer, os transplantados de órgãos sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras e as pessoas vivendo com HIV/Aids e CD4.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 − 9 =