INCA publica cartilha com dicas para se proteger do câncer

Com o objetivo de evitar o surgimento do câncer, o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), vinculado ao Ministério da Saúde, publicou a cartilha “Câncer: a informação pode salvar vidas”, com 10 dicas simples e eficazes para se proteger contra o desenvolvimento da doença.

O manual mostra ações preventivas como a realização de 30 minutos diários de atividades físicas, não fumar, evitar bebidas alcoólicas e manter uma alimentação saudável. O nutricionista do INCA, Fábio Gomes, explica que o tipo de alimentação que se consome pode contribuir para o surgimento da enfermidade. “Os alimentos embutidos possuem conservantes com compostos que podem ser cancerígenos. Eles agridem o estômago e podem aumentar as chances de um câncer no estômago ou no intestino”.

Outra atenção necessária, destacada pelo nutricionista, é em relação aos alimentos ricos em gordura. “Alimentos ricos em sal tem uma quantidade de gordura muito maior, facilitando o desenvolvimento da obesidade. Indiretamente todos os alimentos que proporcionam o desenvolvimento da obesidade vão facilitar o desenvolvimento de câncer”. O consumo de refrigerantes também precisa ser feito com cautela, já que contribui para o aumento de peso. “A obesidade em si, é um fator de risco para o desenvolvimento de câncer no esôfago, no intestino, rins, vesícula, pâncreas e mama. Por isso que o consumo de alimentos gordurosos está diretamente associado ao surgimento do câncer”, ressalta o nutricionista Fábio Gomes.

A ingestão de bebidas alcoólicas também deve ser regrada. “O álcool agride todas as áreas com as quais ele entra em contato, e esta agressão persistente pode provocar alterações nas células e transformá-las em precursoras de câncer”, alerta o nutricionista.

Homens e mulheres com mais de 50 anos também devem ter atenção redobrada com a saúde. Por isso a dica é realizar, a cada dois anos, exames de sangue oculto nas fezes. Isso porque, com a chegada do envelhecimento, acontecem mudanças nas células do organismo aumentando a possibilidade de que elas se tornem malignas.

Mas entenda: o surgimento do câncer depende da intensidade e duração da exposição das células aos agentes causadores de câncer. Por exemplo, o risco de uma pessoa desenvolver câncer de pulmão é diretamente proporcional ao número de cigarros fumados por dia e ao número de anos que ela vem fumando.

Saiba mais sobre o problema – Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se (metástase) para outras regiões do corpo. A divisão rápida das células tende a ser muito agressiva e incontrolável, o que pode determinar a formação de tumores – acúmulo de células cancerosas – também conhecido como neoplasia maligna. Por outro lado, um tumor benigno significa simplesmente uma massa localizada de células que se multiplicam vagarosamente e se assemelham ao seu tecido original, raramente constituindo um risco de vida.

As razões do câncer são distintas. Elas podem ser internas ou externas ao organismo e também podem ter inter-relação. As causas externas relacionam-se ao meio ambiente e aos hábitos ou costumes próprios de um ambiente social e cultural. As causas internas são, na maioria das vezes, geneticamente pré-determinadas, estão ligadas à capacidade do organismo de se defender das agressões externas. Esses fatores causais podem interagir de várias formas, aumentando a probabilidade de transformações malignas nas células normais.

De todos os casos, 80% a 90% dos cânceres estão associados a fatores ambientais. Alguns deles são bem conhecidos: o cigarro pode causar câncer de pulmão, a exposição excessiva ao sol pode causar câncer de pele, e alguns vírus podem causar leucemia. Outros estão em estudo, como alguns componentes dos alimentos que ingerimos, e muitos são ainda completamente desconhecidos.

Clique para ver a Cartilha: Câncer: a informação pode salvar vidas.

Fonte: Ilana Paiva / Blog da Saúde

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *