SES e Cosems publicam orientações para vacinação contra Covid-19

ASecretaria de Estado da Saúde (SES) e o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde da Paraíba (Cosems/PB) divulgaram, nesta segunda-feira (25), após reunião extraordinária do Conselho Intergestor Bipartite (CIB), uma nota técnica com orientações aos municípios para execução da campanha de vacinação contra a Covid-19 no Estado.

Os órgãos orientam dar continuidade à vacinação exclusivamente dos trabalhadores de saúde com as doses recebidas na segunda remessa, seguindo a ordem de prioridade – a começar concluindo a vacinação dos profissionais de saúde dos serviços hospitalares de referência Covid-19 que estão no Plano de Contingência Estadual ou Municipal, trabalhadores do Serviço Móvel de Urgência (Samu) e Unidades de Pronto Atendimento (UPA).

“Lembrando que a vacina, nesse momento, é para aqueles envolvidos na assistência ao paciente Covid-19 (médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, odontólogos, terapeutas ocupacionais, biomédicos, farmacêuticos, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, e seus respectivos técnicos e auxiliares), bem como os trabalhadores de apoio do setor Covid-19 (limpeza, recepção, maqueiro, equipe de ambulâncias, segurança)”, informou o secretário estadual de Saúde, Geraldo Medeiros.

Serão vacinados, seguindo a classificação de prioridade, profissionais de saúde dos demais Hospitais Gerais públicos, privados e filantrópicos que realizam atendimento a pacientes; profissionais de saúde que realizam coleta e processamento das amostras dos laboratórios que ofertam o exame RT-PCR para Covid-19, bem como trabalhadores da área de transporte e recebimento das amostras; funcionários do sistema funerário, os profissionais do Serviço de Verificação de Óbito (SVO), os profissionais do Instituto de Polícia Científica (IPC) que tenham contato com cadáveres potencialmente contaminados, bem como os profissionais da vigilância à saúde do município e estado; profissionais da saúde dos Serviços de Atenção Domiciliar (SAD); Agentes de Saúde Comunitária (ACS) e os Agentes de Endemias (ACE); trabalhadores da Secretaria Municipal de Saúde, a exemplo de: recepcionistas, coordenadores, setor de regulação, sistemas de informação, planejamento, gestão, auxiliares de serviços gerais, segurança, motoristas; profissionais que atuam em cuidados domiciliares; profissionais da saúde dos serviços especializados, ambulatórios, clínicas, Hemorrede Estadual e laboratórios da rede pública ou privada; acadêmicos em saúde e estudantes da área técnica da saúde em estágio hospitalar, atenção básica, clínicas e laboratórios.

“Para todos os profissionais cabe a apresentação de comprovação ativa, como cópia do contracheque, contrato de serviço ou declaração do vínculo, garantindo, assim, o direito à vacinação”, orienta o secretário.

As doses de vacina, no entanto, não serão suficientes para vacinar todos os funcionários do estabelecimento de saúde de uma vez, sendo mais prudente vacinar os profissionais de linha de frente dos serviços de referência (primeiramente) e demais serviços que são porta aberta a receber pacientes com suspeita de Covid-19.

“De forma gradativa e de acordo com as demais doses recebidas objetivamos seguir imunizando os profissionais que não estão na linha de frente após vacinação dos que estão diretamente na assistência aos pacientes com suspeita ou confirmação da Covid-19”, concluiu Geraldo Medeiros.

Confira aqui a Nota Técnica

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer se juntar a discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *