Saúde repassa recursos para melhorar acesso e qualidade

O PMAQ vai gratificar 7.236 equipes de atenção básica de 1.810 municípios referente aos meses de abril, maio, junho e julho

A lista dos primeiros municípios que vão receber os recursos referentes ao desempenho das Equipes de Atenção Básica (EAB) – integrante da política Saúde Mais Perto de Você – foi divulgada nesta quinta-feira (30), pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha. O anúncio foi feito durante reunião ordinária da Comissão Intergestores Tripartite, em Mato Grosso do Sul. As equipes, que já foram avaliadas, fazem parte do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB).

No evento, o ministro assinou documento de autorização do repasse dos recursos a 1.810 municípios, referentes à certificação de 7.236 equipes, totalizando mais de R$ 148 milhões, referentes aos meses de abril, maio, junho e julho. A partir deste mês (agosto), serão transferidos, mensalmente, mais de R$ 37 milhões.

O processo de certificação destas primeiras equipes, que determinou o volume de recursos a serem transferidos aos municípios, foi composto por três partes: uso de instrumentos autoavaliativos – o que corresponde 10% da avaliação; desempenho em resultados do monitoramento dos 24 indicadores de saúde firmados no momento da adesão do Programa – responsável por 20% da avaliação; e desempenho nos padrões de qualidade verificados in loco por avaliadores externos, que corresponde a 70% da nota de avaliação. Este último quesito foi realizado por 45 instituições de ensino e pesquisa de todo o país, por meio de visitas às equipes de atenção básica participantes do PMAQ.

A avaliação in loco considerou elementos como: infraestrutura das Unidades Básicas de Saúde, equipamentos, disponibilização de medicamentos, processo de trabalho das equipes, satisfação dos usuários, dentre outros.

Em maio deste ano, o Ministério da Saúde iniciou a uma avaliação in loco do trabalho de 17.304 equipes que atendem no SUS – o equivalente a 53,3% do total de equipes de saúde da família no país (32.809) – que aderiram ao programa em 3.972 municípios brasileiros. Destas equipes, 12.165 já receberam a visita dos avaliadores da qualidade, correspondendo a cerca de 70% de todas que participam do Programa.

Na avaliação, a opinião dos usuários também está sendo considerada no processo de certificação. Já foram ouvidos mais de 47.000 brasileiros e a percepção de cada um deles, a respeito de como anda a qualidade da atenção básica, será ponderada no momento da definição do volume de recursos financeiros que serão transferidos aos municípios.
As equipes são compostas por médico, enfermeiro, técnico ou auxiliar de enfermagem e agentes comunitários de saúde. Há equipes que também oferecem assistência odontológica e são formadas por dentistas, auxiliar de consultório dentário e/ou técnico em saúde bucal.

Relação dos municípios da Paraíba com equipes certificadas

PROGRAMA

Criado em 2011, o PMAQ tem como objetivo incentivar os gestores a melhorar o padrão de qualidade da assistência oferecida aos usuários do SUS nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) por meio das equipes de Atenção Básica à Saúde. A meta é garantir um padrão de qualidade por meio de um conjunto de estratégias de qualificação, acompanhamento e avaliação do trabalho das equipes de saúde. O programa eleva os recursos do incentivo federal para os municípios participantes, que atingirem melhora no padrão de qualidade no atendimento.

Equipes bem avaliadas poderão receber até R$ 11 mil adicionais, por mês. Hoje, cada equipe recebe do governo federal de R$ 7,1 mil a R$ 10,6 mil, conforme critérios socioeconômicos e demográficos, acrescidos ainda pelos recursos das equipes de Saúde Bucal e Agentes Comunitários de Saúde.

COAP

Nesta quinta-feira, o ministro Alexandre Padilha, também participa de solenidade que marca a assinatura do Contrato Organizativo de Ação Pública da Saúde (COAP) com o estado do Mato Grosso do Sul. Na ocasião serão assinados quatro contratos, um para cada região (Campo Grande, Corumbá, Dourados e Três Lagoas). O Mato Grosso do Sul é o segundo estado a assinar o contrato. O primeiro foi o Ceará, no dia 17 deste mês.

A criação do COAP está prevista no decreto nº 7.508/2011, que regulamentou a Lei nº 8.080/1990. Esta lei trata da organização do Sistema Único de Saúde (SUS); o planejamento da saúde; a assistência à saúde e a articulação interfederativa. É um acordo de colaboração firmado entre entes federativos com a finalidade de organizar e integrar as ações e serviços de saúde na rede regionalizada e hierarquizada, com definição de responsabilidades dos entes signatários.

Segundo o acordo, cada estado é formado por mais de uma região de saúde. O decreto determina, ainda, os detalhes de organização da Região de Saúde, que deve ser capaz de garantir um conjunto de atendimentos de baixa, média e alta complexidade, organizados mediante a conjugação de serviços, recursos financeiros e planejamento integrado, entre os entes federativos. O COAP organiza o país em regiões de saúde.

Dia do Profissional de Educação Física

Atividade Física não é apenas uma das mais importantes chaves para um corpo saudável, ela é a base da atividade intectual criativa e dinâmica.

Dia do Nutricionista – 31 de Agosto

Quem não gosta de comer bem? O nutricionista é o responsável por cuidar e instruir as pessoas a terem uma alimentação saudável, e até mesmo orientar aqueles que estão mais gordinhos, e desejam emagrecer. Nestes casos, não adianta parar de comer, ou se alimentar de qualquer jeito, pois isso não ajudará a perder peso e ainda prejudicará sua saúde. Para os que precisam manter uma dieta, é necessário estar sempre com o acompanhamento de um nutricionista.

Os nutricionistas têm a função de orientar seu pacientes a comer bem! Cereais, frutas, vegetais e alimentos ricos em fibra, são alguns itens do cardápio para ter uma alimentação saudável. Nada de alimentos gorduroso, frituras, e muitos doces. Tudo deve ser controlado, e nunca consumido em exagero, para assim, não termos nossa saúde prejudicada.

Ninguém gosta de ficar doente, não é mesmo?

Um viva a todos os nutricionistas do mundo!

Exame ginecológico regular leva a 92% de chances de cura de câncer

Estudo sueco confirmou importância do papanicolau
Entre as que morreram pelo tumor, três quartos não faziam o exame

Exames ginecológicos regulares levam as chances de se sobreviver ao câncer de colo de útero a 92%, indica uma pesquisa de uma das principais revistas médicas do mundo, a “British Medical Journal”. O estudo é o primeiro a avaliar as chances de sobrevivência desse tumor.

Médicos recomendam que todas as mulheres sexualmente ativas façam o exame de papanicolau pelo menos uma vez ao ano. Nele, uma pequena amostra do colo do útero é retirada e levada para análise. Ele é capaz de detectar o câncer na região já em seus primeiros estágios, antes do aparecimento de sintomas.

Os cientistas do Instituto Karolinska, na Suécia, acompanharam 1.230 mulheres diagnosticadas com esse tipo de tumor entre 1999 e 2001.

As mulheres que faziam exames regularmente tiveram um índice de cura de 92%. Entre as que foram diagnosticadas apenas após o surgimento dos primeiros sintomas, 66% foram curadas.

Das 373 mulheres que morreram por causa do câncer, três quartos não faziam o Papanicolau regularmente.

Seis milhões de brasileiras têm endometriose mas não conhecem o problema

A endometriose é responsável por 40% dos casos de infertilidade no país, mas apenas um terço das brasileiras associa a doença à dificuldade de engravidar, segundo pesquisa da Sociedade Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva. O levantamento, feito com cinco mil mulheres com mais de 18 anos no país, revelou ainda que 88% não sabem como tratar o problema e que 55% não sabem sequer o que é a doença.

A doença é caracterizada pela presença do endométrio – tecido que reveste o interior do útero – em outros órgãos, como trompas, ovários, intestinos e bexiga. A endometriose lidera as causas de infertilidade entre mulheres acima dos 25 anos, sendo possível que aproximadamente de 30% a 40% das mulheres inférteis tenham algum grau de endometriose. A doença tem tratamento, mas não tem cura e costuma regredir na menopausa, segundo ginecologistas.

Os sintomas da endometriose podem variar de acordo com cada pessoa. Cólicas menstruais intensas e dores durante a menstruação, ao urinar, evacuar e também durante as relações sexuais. O sangramento menstrual costuma ser intenso ou irregular. Hoje, cerca de seis milhões de brasileiras têm a doença, sendo que até 50% delas podem ficar inférteis. O diagnóstico costuma ocorrer por volta dos 30 anos.

No entanto, o tempo entre o surgimento dos sintomas até a descoberta da doença costuma levar sete anos, alerta o ginecologista Maurício Abrão, presidente da Sociedade Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva (SBE) e professor da Faculdade de Medicina da Usp.

— Em pessoas mais jovens, este tempo pode chegar a 12 anos — diz Abrão.

A pesquisa ouviu mulheres em São Paulo, Rio de Janeiro, Goiânia, Belo Horizonte, Manaus, Fortaleza, Curitiba e Salvador. Outros aspectos sobre a percepção da mulher brasileira para um problema comum e sério diz respeito à forma de tratar: 88% delas desconhecem as opções de tratamento para a doença. Leia mais

Saiba mais sobre o botulismo e como se prevenir

O botulismo é uma doença rara causada por uma bactéria chamada Clostridium botulinum, que produz toxinas potencialmente fatais.

A toxina botulínica contamina principalmente alimentos enlatados ou em vidro, como palmito, ervilha, milho e picles, além de conservas caseiras e pastas. O dr. Anthony Wong, toxicologista e chefe do Centro de Assistência Toxicológica (Ceatox) do Hospital das Clínicas de São Paulo, explicou:

— As pessoas precisam tomar muito cuidado ao consumir alimentos produzidos de forma artesanal, como mel, geleias, compotas, palmito etc. Isso porque não sabemos em quais condições de higiene eles foram feitos e a toxina botulínica é anaeróbia, ou seja, vive em ambiente com pouco ou sem oxigênio.

A doença pode se manifestar pelos seguintes sintomas: dores de cabeça, vertigem, tontura, sonolência, visão turva ou dupla, diarreia, náuseas, vômitos, dificuldade para respirar, comprometimento de nervos cranianos, prisão de ventre e infecções respiratórias.

— Como os sintomas são muito parecidos com os de pneumonia, as pessoas podem demorar para buscar ajuda médica ou o próprio profissional erra o diagnóstico.

Por ser uma doença com alto índice de morte, é importante procurar o médico no ínicio dos sintomas para antecipar o diagnóstico da doença. O tratamento, basicamente, é a aplicação de soro antibotulínico.

— A toxina botulínica é a mais potente da face da Terra, não à toa o botulismo é uma doença muito grave que leva à morte em pouco tempo. E as crianças são as principais vítimas da doença porque têm massa corpórea pequena e são mais suscetíveis.

 Fonte: http://www.portaldoconsumidor.gov.br

Preenchimento Módulo IV – PMAQ

Como já é do conhecimento de todos, o módulo on-line da Avaliação Externa PMAQ estará aberto até o dia 31/08/2102 (sexta-feira).

Os gestores e equipes devem preencher esse módulo para serem certificadas. As informações do Módulo IV são essenciais para a avaliação das equipes de atenção básica.

Os questionários do Módulo IV para o gestor e responsáveis das equipes fazem parte da avaliação, portanto é recomendável que sejam inseridas informações para todas as questões.

Conforme relatório do dia 20.08.12, no Estado da Paraíba:

  • 43 municípios (dos 173 que aderiram ao PMAQ), ainda não realizaram o preenchimento do módulo IV – Gestão;
  • Equipes de 65 municípios (dos 173 que aderiram ao PMAQ), ainda não realizaram o preenchimento do módulo IV – Equipe;
  • 23 municípios (dos 173 que aderiram ao PMAQ), ainda não preencheram a sua totalidade de equipes PMAQ no módulo IV – Equipe.

Clique aqui para ver a planilha detalhada

Lembrando que para as equipes que não estão sendo visualizadas no sistema para preenchimento do Módulo IV, por mudanças no CNES e/ou área foi criado uma funcionalidade no sistema do PMAQ que possibilita que o gestor altere o CNES e/ou área das equipes  PMAQ.

Atenção: A alteração só será possível para as equipes que não aparecem no sistema em razão da modificação no CNES e/ou Área, com isso será possível inserir as informações do questionário – Módulo IV.

Estamos à disposição para maiores esclarecimentos.

Atenciosamente,

Priscila Mara Anjos Nunes
(83) 9153-6675 Claro / 8705-1637 Oi / 9640-9878 Tim

Apoio Institucional Descentralizado PARAÍBA
Departamento de Atenção Básica – DAB
Ministério da Saúde – MS

Comunicado Importante – PMAQ

O Departamento Nacional de Auditoria do SUS (DENASUS), em parceria com o Departamento de Atenção Básica (DAB/SAS/MS), está realizando visitas técnicas em uma amostra de equipes de AB participantes do PMAQ, totalizando 1.281 municípios e 1.916 equipes, em todos os estados brasileiros, com o intuito de validar o processo de coleta de dados realizados pelo conjunto de instituições de ensino e/ou pesquisa responsáveis pela avaliação externa do programa, bem como contribuir como apoio à gestão no aprimoramento do processo que vem sendo desenvolvido pelo DAB.

No Estado da Paraíba este processo contemplará 61 municípios dos 173 que aderiram ao PMAQ e totaliza a visita técnica em 84 Equipes PMAQ.

Relação das equipes sorteadas para amostra  |  Ofício

As visitas técnicas iniciaram no dia 13 de agosto de 2012 e deverão ter continuidade até o comprimento da amostragem definida.

Diante do exposto, contamos com a colaboração de todos para mais o sucesso de mais uma etapa do PMAQ.

Atenciosamente.

Priscila Mara Anjos Nunes
(83) 9153-6675 Claro / 8705-1637 Oi / 9640-9878 Tim

Apoio Institucional Descentralizado PARAÍBA
Departamento de Atenção Básica – DAB
Ministério da Saúde – MS

Informe ANVISA

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou nesta segunda-feira, dia 27/08/2012 no Diário Oficial da União (DOU), a apreensão e inutilização, em todo o país, do lote 0805720, validade 09/2014, do medicamento Dualid S (cloridrato de anfepramona, 75mg).

O lote citado não tem origem comprovada e não pertence a nenhum lote regular do medicamento, fabricado pela empresa Aché Laboratórios Farmacêuticos S/A.

As pessoas que já tiverem adquirido o lote ou produto apreendido devem interromper o uso.

Fonte: http://www.portaldoconsumidor.gov.br