Assessoria Jurídica

A Diretoria Executiva do COSEMS-PB informa a todos os Secretários Municipais de Saúde da PB, que está à disposição de todos, uma consultora jurídica recém contratada pelo COSEMS-PB, a Dra. Joselisses A. Ferreira, para tirar dúvidas em questões jurídicas relacionadas às Secretarias Municipais de Saúde.

A consultoria se dará de forma presencial às segundas-feira no horário das 08h às 12h na sala do COSEMS ou através do email cosemspb.juridico@gmail.com

Doenças cardiovasculares variam com tipo de sangue

A maioria das pessoas já está ciente de que a hipertensão arterial, o tabagismo, a obesidade, o diabetes e o colesterol elevado são fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Agora, podemos acrescentar mais um à lista: o tipo de sangue. Felizmente, a maior parte da população se enquadra na categoria de baixo risco nesse sentido.

Publicado em 14 de agosto, na revista Arteriosclerose, Trombose e Biologia Vascular, um estudo, realizado pelo Dr. Qi Lu e sua equipe da Escola de Saúde Pública de Harvard, analisou dados sobre mais de 77 mil indivíduos com idades entre 30 e 75 anos. Os participantes foram acompanhados por mais de 20 anos para verificar se havia uma correlação entre o tipo sanguíneo e as doenças cardíacas.

Os cientistas descobriram que pessoas com tipo sanguíneo AB apresentavam risco maior de desenvolver doenças cardíacas em cerca de 23% em comparação com o grupo de menor risco, ou seja, do tipo O. Já aquelas com sangue tipo B apresentavam um risco aumentado em 11% e as do tipo A, tiveram aumento de 5%. Não houve variação de risco para os subtipos de Rh positivo ou negativo. Leia mais

Aberta a segunda vigência de 2012 para acompanhamento das condicionalidades de saúde do Programa Bolsa Família

Está aberta a segunda vigência de 2012 para acompanhamento das condicionalidades de saúde do Programa Bolsa Família. Para esta vigência, a saúde deverá acompanhar 11.428.073 famílias com perfil saúde. Na primeira vigência de 2012, cerca de 7,5 milhões de famílias beneficiárias (73%) com crianças menores de 7 anos e/ou mulheres de 14 a 44 anos foram acompanhadas. Este número representa a maior cobertura de acompanhamento desde o início do Programa.

Assim, a relação das famílias beneficiárias para acompanhamento na segunda vigência de 2012 pela saúde está disponível no Sistema de Gestão do Programa Bolsa Família na Saúde (http://bolsafamilia.datasus.gov.br).

Para a segunda vigência de 2012, foram feitas alterações no sistema com intuito de possibilitar a identificação de beneficiárias gestantes, independente da faixa etária, visando a concessão do Benefício Variável à Gestante – BVG. Acesse o documento que traz essas alterações clicando aqui.

Incentive as Equipes de Saúde de seu município a acompanharem com antecedência as famílias beneficiárias com perfil saúde e realizarem a captação das gestantes beneficiárias o mais breve possível. O acompanhamento das condicionalidades de saúde dessa população, caracterizada em situação de vulnerabilidade social, garante o exercício de seu direito à saúde e contribui para a melhoria das condições de vida das famílias beneficiárias.

Saúde usará R$ 31 milhões para incentivar denúncias de violência contra mulheres

O Ministério da Saúde vai destinar R$ 31 milhões às secretarias estaduais e municipais de todo o país na tentativa de incentivar a notificação de casos de violência contra mulheres e promover ações de vigilância e prevenção.

Dados do Sistema de Informações de Agravos de Notificação indicam que, no ano passado, 37.717 mulheres, entre 20 e 59 anos, foram vítimas de algum tipo de violência no Brasil. O número representa aumento de 38,7% em relação ao ano anterior, quando foram registrados 27.176 casos. Em 2010, entretanto, a notificação não era obrigatória.

De acordo com o levantamento, a agressão física chega a representar 78,2% dos casos de violência sofridas por mulheres nessa faixa etária, seguida pela violência psicológica (32,2%) e pela violência sexual (7,5%). Em 38,4% dos casos, não era a primeira vez que a agressão acontecia. Ao todo, 5.496 mulheres foram internadas em 2011 em decorrência de violência.

Ainda segundo o ministério, a maioria das agressões sofridas por mulheres acontece dentro da própria residência (60,4%). Os homens com os quais elas se relacionam ou se relacionaram respondem por 41,2% dos casos, enquanto amigos e conhecidos representam 8,1% e desconhecidos, 9,2%.

Nas ocorrências que envolvem agressões sexuais, 51% dos principais agressores são desconhecidos; 13,5% são os próprios cônjuges e 13,4%, amigos ou conhecidos.

Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Tonturas

As tonturas também são designadas por vertigens. No entanto, na vertigem, para além de uma alteração do equilíbrio, há também uma sensação de movimento associada. É um problema comum. As tonturas podem acontecer de vez em quando ou estar presentes quase sempre. Não costumam ser um problema grave.

Saiba as causas das tonturas

Por vezes não se sabe o que provoca as tonturas. Resultam de uma alteração dos mecanismos de controlo do equilíbrio, mais frequentemente ao nível do ouvido interno.  As informações visuais e as informações do sistema nervoso periférico relativas aos ossos, músculos e articulações, são também importantes para o equilíbrio que, em última análise, nos é dado pelo sistema nervoso central, após a recepção de todas aquelas informações. Assim, uma alteração em qualquer um destes níveis pode despertar uma vertigem. Podem ocorrer tonturas durante uma infecção do ouvido, uma doença sistémica ou uma lesão na cabeça. Com o envelhecimento são mais frequentes as alterações do equilíbrio. A movimentação rápida da cabeça também podem provocar tonturas.

Sinais e sintomas de tonturas

Poderá ficar com a sensação de que você ou o quarto onde se encontra estão a rodopiar ou a girar. Poderá também ter a sensação de estar a balançar de um lado para o outro. Poderá sentir-se zonzo ou a desmaiar. Poderá ainda sentir-se a flutuar ou a perder o equilíbrio. Poderá sentir náuseas (enjoo) ou vómitos. As tonturas podem fazer com que caia.

Como se Diagnostica

No diagnóstico da vertigem é importante um exame médico bastante completo, que permita excluir as causas mais raras, mas mais graves de vertigem central (originada por lesão no sistema nervoso central). É também importante um exame de otorrinolaringologia, que é urgente se o doente tiver uma otite crônica. No diagnóstico inicial é realizado um exame otorrinolaringológico completo e várias manobras para estudar os movimentos dos olhos e a postura do doente. Pode ser necessário realizar exames auxiliares de diagnóstico complexos, como uma videonistagmografia ou um TAC cerebral e/ou dos ouvidos.

Prevenção e Cuidados a ter

Para evitar as tonturas, levante-se devagar de uma posição deitada para uma posição sentada. Sente-se durante um minuto antes de se levantar. Poderá necessitar de medicamentos para diminuir ou para se ver livre dastonturas e para controlar as náuseas e os vómitos. E poderá necessitar de ser internado para lhe serem efectuados testes e ser administrado otratamento. Deve evitar conduzir ou operar máquinas perigosas enquanto tiver alterações do equilíbrio.

Riscos e Complicações

As vertigens são normalmente um sintoma benigno. A sua gravidade depende da doença que as determina. As complicações mais frequentes resultam das quedas ou acidentes sofridos por pessoas durante uma crise vertiginosa. No entanto, se tiver uma otite crónica, a vertigem pode ser, ela própria, um sinal de alarme de uma complicação da otite que esteja a ocorrer.

Tratamento das tonturas

Excluída a vertigem central, o tratamento baseia-se no controlo dos sintomas e em medicamentos que acelerem a recuperação do labirinto (parte do ouvido interno responsável pelo equilíbrio). Uma grande parte das tonturas trata-se com manobras que o seu otorrinolaringologista realizará para restabelecer o funcionamento dos aparelhos sensores do movimento situados no labirinto. Poderá também necessitar de tratamentos mais complexos com cadeiras rotatórias e luzes ou com plataformas móveis, em todo o caso controladas por um otorrinolaringologista.

 

Fonte: http://www.fotosantesedepois.com/2011/05/31/tonturas/

Ministro lança campanha para atualizar caderneta de vacinação

A pentavalente e a Vacina Inativada Poliomielite passam a fazer parte do Calendário Básico. Crianças menores de cinco anos, das regiões Norte, Nordeste e parte de Minas, irão receber megadoses de vitamina A, dentro do Programa Brasil Carinhoso.
 

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, lançou nesta terça-feira (14) a campanha de atualização da caderneta de vacinação das crianças. A ação tem como objetivo a melhoria da cobertura vacinal do público infantil e será realizada em conjunto entre o Ministério da Saúde e as secretarias estaduais e municipais de Saúde de todo o país.  A ação ocorrerá no período de 18 a 24 deste mês de agosto, sendo 18 o “Dia D” de divulgação e mobilização nacional.

Durante a apresentação da campanha à imprensa, o ministro anunciou também a oferta de suplemento de vitamina A às crianças menores de cinco anos – moradoras das regiões Norte, Nordeste e dos vales do Jequitinhonha e Mucuri, em Minas Gerais. A medida integra o Programa Brasil Carinhoso, lançado em maio desde ano e que tem como meta a superação da extrema pobreza na primeira infância.

Na campanha de atualização serão oferecidas à população-alvo – crianças menores de cinco anos – várias vacinas. A pentavalente e a Vacina Inativada Poliomielite (VIP) também passam a fazer parte do calendário básico de criança.

Leia mais

Lista de municípios em débito com o SISREG

[notice]

A Secretaria de Estado da Saúde através da Gerência Executiva de Controle e Avaliação disponibilizou ao COSEMS – PB em reunião ordinária na CIB nesta segunda-feira dia 13 de Agosto de 2012 disponibilizou a lista dos Municípios que ainda estão em falta com o SISREG.

  • Lista de Processos Aguardando Assinaturas do Prefeito para o TCU
  • Lista de processos sem documentos
  • Lista de Municípios que ainda não enviaram a documentação e a lista dos processos assinados.

 

Confira a situação do seu Município clicando aqui

Onde procurar: Secretaria de Estado da Saúde – Complexo Regulador
Falar com Fábio Alencar de Andrade, ou Luciana Suassuna, e também o Gilberto Melo
Telefone: 3218- 7401 ou 7402

[/notice]

Produção MAC

[important]

Atenção Secretários!

Com a portaria a Portaria GM/MS nº 3.462, de 11/11/2010, que define em seu art.2º, o Ministério da Saúde publicou a obrigatoriedade de alimentação mensal e sistemática do Bancos de Dados Nacionais. Os municípios que estão com Sub-notificação em relação à alimentação de informações ou o não uso do teto MAC, podem conferir o link abaixo:

Detalhamento do Teto comparado à Produção MAC dos Municípios com execução abaixo de 75% (período 2011)

[/important]

 

Uso inadequado de produtos de beleza pode provocar danos à saúde

Por trás do forte apelo de consumo presente no mercado de cosméticos para a busca da beleza de homens e mulheres podem estar escondidos alguns perigos para a saúde. O alerta foi feito pela farmacêutica Rita de Cássia Dias, responsável pelo Grupo de Vigilância Sanitária em Cosméticos.

“É importante certificar-se de que o produto tem procedência legal ou que seja registrado no Ministério da Saúde por meio da Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária”, diz a farmacêutica. Ela alerta que é preciso ter muito cuidado para não cair na armadilha de produtos clandestinos em oferta, sem a devida supervisão de profissionais especializados.

Rita de Cássia ressalta que o uso inadequado de alguns produtos, mesmo que regulamentados, pode também trazer problemas para o consumidor. É o caso, por exemplo, cremes utilizados sem orientação médica para descamação da pele à base de ácido retinoico, que, segundo a farmacêutica, podem provocar até queimaduras fortes de segundo grau.

Ela informou que irritações e alergias estão entre os principais efeitos do uso inadequado de cosméticos apontados em 120 notificações analisadas pela Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo. Reações como essas foram relatadas por médicos, serviços de saúde e consumidores em 60% das notificações registradas no Centro de Vigilância Sanitária.

Vermelhidão e coceira aparecem em 35% das notificações e queimaduras, em 8%. Mais da metade (54%) dos problemas decorrentes do uso de cosméticos referem-se a agressões à pele, aos olhos e a outras partes do corpo, incluindo cabelos e unhas. Há registro também de reclamações contra alisantes e produtos para hidratação e maciez dos cabelos; protetores solares, fraldas descartáveis, desodorantes e cremes antirrugas e anticelulite.

“Foi possível perceber que as reações por cosméticos são causadas, sobretudo, pelo livre acesso das pessoas aos produtos, pelo uso inadequado e/ou precoce, pela mistura de diferentes apresentações e pela crença de que cosméticos não fazem mal à saúde”, destacou Rita de Cássia.

Segundo a Secretaria de Saúde, na maioria das notificações, não foram detectados casos graves. Ainda assim, a farmacêutica aconselha os consumidores a suspender o uso do produto, ao menor sinal de que ele esteja provocando alguma reação no organismo. Se a pessoa notar um sintoma mais agressivo, deve procurar imediatamente um médico.

Fonte: www.agenciabrasil.ebc.com.br

Pressão alta atinge 25% das crianças e adolescentes

Sódio é considerado vilão das dietas e especialistas recomendam cortar refrigerante, macarrão instantâneo, lanches e alimentos industrializados.

Uma pesquisa feita com 284 crianças e jovens da Casa do Adolescente de Pinheiros, unidade ligada à Secretaria de Estado da Saúde, apontou que 25% deles apresentavam quadro de hipertensão arterial combinada com alto consumo de sódio na dieta, apesar da pouca idade.

Foram coletados dados relativos à idade, peso, estatura, IMC (Índice de Massa Corporal), pressão arterial e relatos da alimentação das 24 horas anteriores ao preenchimento. A pesquisa foi feita com os prontuários do público com idade entre 10 e 17 anos.

Os dados mostraram ainda que outros 11%, apesar de fazerem também alto consumo de sódio, não desenvolveram hipertensão ainda. Os outros 64% estão com a pressão arterial e o consumo de sódio dentro dos padrões considerados adequados.

Segundo o médico Arlindo Frederico Junior, do Centro de Saúde de Pinheiros, o índice constatado pode ser considerado preocupante porque a doença tende a se agravar com o tempo e trazer complicações no início da fase adulta como o AVC (Acidente Vascular Cerebral), infarto, diabetes, doenças renais e até morte súbita.

O refrigerante é um dos grandes vilões na alimentação de crianças e adolescentes, já que tem concentração expressiva de sódio. O consumo de lanches e refeições semiprontas (fast food) e de salgadinhos também colaboram com os índices negativos.

“Nossa cultura cotidiana também está condicionada a usar muito mais sal do que o necessário na dieta. O excesso de sal está presente na vida do jovem desde as refeições em casa até com o que é consumido nas cantinas das escolas”, diz Frederico Júnior.

A obesidade e o sobrepeso também podem ter contribuído para a hipertensão dos adolescentes. O problema, também agravado pela má alimentação, foi constatado em 23% dos prontuários pesquisados.

Segundo o médico, se por um lado a idade pode dificultar as correções pela fase da vida tradicionalmente crítica e questionadora, por outro, o metabolismo de crianças e adolescentes é mais flexível do que o de um adulto, o que favorece as adaptações.

“É o melhor momento para iniciar mudanças e evitar que a doença se agrave com o tempo”, afirma o médico. Leia mais