Exame ginecológico regular leva a 92% de chances de cura de câncer

Estudo sueco confirmou importância do papanicolau
Entre as que morreram pelo tumor, três quartos não faziam o exame

Exames ginecológicos regulares levam as chances de se sobreviver ao câncer de colo de útero a 92%, indica uma pesquisa de uma das principais revistas médicas do mundo, a “British Medical Journal”. O estudo é o primeiro a avaliar as chances de sobrevivência desse tumor.

Médicos recomendam que todas as mulheres sexualmente ativas façam o exame de papanicolau pelo menos uma vez ao ano. Nele, uma pequena amostra do colo do útero é retirada e levada para análise. Ele é capaz de detectar o câncer na região já em seus primeiros estágios, antes do aparecimento de sintomas.

Os cientistas do Instituto Karolinska, na Suécia, acompanharam 1.230 mulheres diagnosticadas com esse tipo de tumor entre 1999 e 2001.

As mulheres que faziam exames regularmente tiveram um índice de cura de 92%. Entre as que foram diagnosticadas apenas após o surgimento dos primeiros sintomas, 66% foram curadas.

Das 373 mulheres que morreram por causa do câncer, três quartos não faziam o Papanicolau regularmente.

Seis milhões de brasileiras têm endometriose mas não conhecem o problema

A endometriose é responsável por 40% dos casos de infertilidade no país, mas apenas um terço das brasileiras associa a doença à dificuldade de engravidar, segundo pesquisa da Sociedade Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva. O levantamento, feito com cinco mil mulheres com mais de 18 anos no país, revelou ainda que 88% não sabem como tratar o problema e que 55% não sabem sequer o que é a doença.

A doença é caracterizada pela presença do endométrio – tecido que reveste o interior do útero – em outros órgãos, como trompas, ovários, intestinos e bexiga. A endometriose lidera as causas de infertilidade entre mulheres acima dos 25 anos, sendo possível que aproximadamente de 30% a 40% das mulheres inférteis tenham algum grau de endometriose. A doença tem tratamento, mas não tem cura e costuma regredir na menopausa, segundo ginecologistas.

Os sintomas da endometriose podem variar de acordo com cada pessoa. Cólicas menstruais intensas e dores durante a menstruação, ao urinar, evacuar e também durante as relações sexuais. O sangramento menstrual costuma ser intenso ou irregular. Hoje, cerca de seis milhões de brasileiras têm a doença, sendo que até 50% delas podem ficar inférteis. O diagnóstico costuma ocorrer por volta dos 30 anos.

No entanto, o tempo entre o surgimento dos sintomas até a descoberta da doença costuma levar sete anos, alerta o ginecologista Maurício Abrão, presidente da Sociedade Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva (SBE) e professor da Faculdade de Medicina da Usp.

— Em pessoas mais jovens, este tempo pode chegar a 12 anos — diz Abrão.

A pesquisa ouviu mulheres em São Paulo, Rio de Janeiro, Goiânia, Belo Horizonte, Manaus, Fortaleza, Curitiba e Salvador. Outros aspectos sobre a percepção da mulher brasileira para um problema comum e sério diz respeito à forma de tratar: 88% delas desconhecem as opções de tratamento para a doença. Leia mais

Saiba mais sobre o botulismo e como se prevenir

O botulismo é uma doença rara causada por uma bactéria chamada Clostridium botulinum, que produz toxinas potencialmente fatais.

A toxina botulínica contamina principalmente alimentos enlatados ou em vidro, como palmito, ervilha, milho e picles, além de conservas caseiras e pastas. O dr. Anthony Wong, toxicologista e chefe do Centro de Assistência Toxicológica (Ceatox) do Hospital das Clínicas de São Paulo, explicou:

— As pessoas precisam tomar muito cuidado ao consumir alimentos produzidos de forma artesanal, como mel, geleias, compotas, palmito etc. Isso porque não sabemos em quais condições de higiene eles foram feitos e a toxina botulínica é anaeróbia, ou seja, vive em ambiente com pouco ou sem oxigênio.

A doença pode se manifestar pelos seguintes sintomas: dores de cabeça, vertigem, tontura, sonolência, visão turva ou dupla, diarreia, náuseas, vômitos, dificuldade para respirar, comprometimento de nervos cranianos, prisão de ventre e infecções respiratórias.

— Como os sintomas são muito parecidos com os de pneumonia, as pessoas podem demorar para buscar ajuda médica ou o próprio profissional erra o diagnóstico.

Por ser uma doença com alto índice de morte, é importante procurar o médico no ínicio dos sintomas para antecipar o diagnóstico da doença. O tratamento, basicamente, é a aplicação de soro antibotulínico.

— A toxina botulínica é a mais potente da face da Terra, não à toa o botulismo é uma doença muito grave que leva à morte em pouco tempo. E as crianças são as principais vítimas da doença porque têm massa corpórea pequena e são mais suscetíveis.

 Fonte: http://www.portaldoconsumidor.gov.br

Preenchimento Módulo IV – PMAQ

Como já é do conhecimento de todos, o módulo on-line da Avaliação Externa PMAQ estará aberto até o dia 31/08/2102 (sexta-feira).

Os gestores e equipes devem preencher esse módulo para serem certificadas. As informações do Módulo IV são essenciais para a avaliação das equipes de atenção básica.

Os questionários do Módulo IV para o gestor e responsáveis das equipes fazem parte da avaliação, portanto é recomendável que sejam inseridas informações para todas as questões.

Conforme relatório do dia 20.08.12, no Estado da Paraíba:

  • 43 municípios (dos 173 que aderiram ao PMAQ), ainda não realizaram o preenchimento do módulo IV – Gestão;
  • Equipes de 65 municípios (dos 173 que aderiram ao PMAQ), ainda não realizaram o preenchimento do módulo IV – Equipe;
  • 23 municípios (dos 173 que aderiram ao PMAQ), ainda não preencheram a sua totalidade de equipes PMAQ no módulo IV – Equipe.

Clique aqui para ver a planilha detalhada

Lembrando que para as equipes que não estão sendo visualizadas no sistema para preenchimento do Módulo IV, por mudanças no CNES e/ou área foi criado uma funcionalidade no sistema do PMAQ que possibilita que o gestor altere o CNES e/ou área das equipes  PMAQ.

Atenção: A alteração só será possível para as equipes que não aparecem no sistema em razão da modificação no CNES e/ou Área, com isso será possível inserir as informações do questionário – Módulo IV.

Estamos à disposição para maiores esclarecimentos.

Atenciosamente,

Priscila Mara Anjos Nunes
(83) 9153-6675 Claro / 8705-1637 Oi / 9640-9878 Tim

Apoio Institucional Descentralizado PARAÍBA
Departamento de Atenção Básica – DAB
Ministério da Saúde – MS

Comunicado Importante – PMAQ

O Departamento Nacional de Auditoria do SUS (DENASUS), em parceria com o Departamento de Atenção Básica (DAB/SAS/MS), está realizando visitas técnicas em uma amostra de equipes de AB participantes do PMAQ, totalizando 1.281 municípios e 1.916 equipes, em todos os estados brasileiros, com o intuito de validar o processo de coleta de dados realizados pelo conjunto de instituições de ensino e/ou pesquisa responsáveis pela avaliação externa do programa, bem como contribuir como apoio à gestão no aprimoramento do processo que vem sendo desenvolvido pelo DAB.

No Estado da Paraíba este processo contemplará 61 municípios dos 173 que aderiram ao PMAQ e totaliza a visita técnica em 84 Equipes PMAQ.

Relação das equipes sorteadas para amostra  |  Ofício

As visitas técnicas iniciaram no dia 13 de agosto de 2012 e deverão ter continuidade até o comprimento da amostragem definida.

Diante do exposto, contamos com a colaboração de todos para mais o sucesso de mais uma etapa do PMAQ.

Atenciosamente.

Priscila Mara Anjos Nunes
(83) 9153-6675 Claro / 8705-1637 Oi / 9640-9878 Tim

Apoio Institucional Descentralizado PARAÍBA
Departamento de Atenção Básica – DAB
Ministério da Saúde – MS

Informe ANVISA

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou nesta segunda-feira, dia 27/08/2012 no Diário Oficial da União (DOU), a apreensão e inutilização, em todo o país, do lote 0805720, validade 09/2014, do medicamento Dualid S (cloridrato de anfepramona, 75mg).

O lote citado não tem origem comprovada e não pertence a nenhum lote regular do medicamento, fabricado pela empresa Aché Laboratórios Farmacêuticos S/A.

As pessoas que já tiverem adquirido o lote ou produto apreendido devem interromper o uso.

Fonte: http://www.portaldoconsumidor.gov.br

29 de agosto – Dia Nacional de Combate ao Fumo

Cigarro não combina com a saúde do planeta. Nem com a sua. 

Basta manter um cigarro aceso para poluir o ambiente. A fumaça do cigarro contém mais de 4.700 substâncias tóxicas, incluindo arsênico, amônia, monóxido de carbono (o mesmo que sai do escapamento dos veículos), substâncias cancerígenas, além de corantes e agrotóxicos em altas concentrações. Imagine a quantidade de toxidade que várias pessoas fumando deixam no nosso Planeta.

Além dos danos à saúde (como diferentes tipos de câncer, doenças cardiovasculares, doenças respiratórias, impotência sexual no homem, infertilidade na mulher, osteoporose e catarata entre mais de 50 doenças diretamente relacionadas ao tabagismo), ao longo da cadeia de produção do tabaco há fatores que afetam o meio ambiente e toda a sociedade: uso de agrotóxicos, adoecimento dos fumicultores, inclusive crianças e adolescentes, desmatamento, incêndios, resíduos urbanos e marinhos.

Os agricultores são vítimas de doenças causadas pelos pesticidas e pelo manuseio da folha de tabaco (doença do tabaco verde, com sintomas que incluem náusea, vômito, fraqueza, dor de cabeça, tonteira, dores abdominais, dificuldade para respirar e alteração na pressão sanguínea). Dentre as crianças e adolescentes de 5 a 15 anos envolvidas em atividades agrícolas na região Sul do Brasil, 14% trabalham no cultivo do tabaco, ficando expostas a grandes quantidades de agrotóxicos.

Nos países em desenvolvimento, o desmatamento devido ao plantio e secagem das folhas do tabaco corresponde a 5% do total. Para cada 300 cigarros produzidos, uma árvore é sacrificada. O fumante de um maço de cigarros por dia consome duas árvores em um mês. Ainda que as zonas desmatadas sejam reflorestadas, não são refeitas as condições naturais quanto à flora e à fauna da mata virgem. O desmatamento está associado ainda a surtos de doenças infecciosas, e à erosão e destruição do solo.

Pelo menos 25% dos incêndios rurais e urbanos são causados por pontas de cigarros. Os filtros, por sua vez, estão carregados de materiais tóxicos que podem demorar mais de cinco anos para se decompor. Há contaminação do solo e bloqueio dos sistemas das águas e esgoto.

As pontas de cigarros são levadas pela chuva para rios, lagos, oceanos, matando peixes, tartarugas e aves marinhas que podem ingeri-las.

Respeite a sua saúde e a saúde do planeta. Ambiente saudável é ambiente livre do cigarro.

Municípios que ainda não enviaram o RAG 2011

Atenção aos senhores e senhoras Secretários de Saúde!

Os 17 municípios que ainda não enviaram o RAG 2011, utilizando o SARGSUS, é preciso efetivar o registro do SARGSUS e para isso é preciso fazer o cadastro via CSPUWEB .

Segue lista:

  • ASSUNÇÃO
  • BREJO DOS SANTOS
  • CACIMBA DE AREIA
  • CACIMBAS
  • CALDAS BRANDÃO
  • DESTERRO
  • FAGUNDES
  • MONTE HOREBE
  • OLHO D’ÁGUA
  • PARARI
  • PAULISTA
  • QUIXABA
  • SALGADINHO
  • SÃO DOMINGOS DO CARIRI
  • SÃO SEBASTIÃO DE LAGOA DE ROÇA
  • TAVARES
  • TENÓRIO

Entre no site: http://www.saude.gov.br/sargsus

Cadastro de Conselhos Municipais no SARGSUS

Atenção senhores e senhoras Secretários de Saúde!

As secretarias que ainda não estão cadastradas com os conselhos municipais, não poderão ter os seus relatórios avaliados por meio do uso SARGSUS.

Segue abaixo a lista dos municípios que ainda não cadastraram seus conselhos:

  • Alcantil
  • Algodão de Jandaíra
  • Amparo
  • Areia de Baraúnas
  • Areial
  • Assunção
  • Cacimba de Areia
  • Cacimbas
  • Caldas Brandão
  • Camalaú
  • Caraúbas
  • Congo
  • Cubati
  • Desterro
  • Diamante
  • Fagundes
  • Gado Bravo
  • Imaculada
  • Itaporanga
  • Lucena
  • Massaranduba
  • Matinhas
  • Maturéia
  • Monte Horebe
  • Nova Floresta
  • Ouro Velho
  • Pedras de Fogo
  • Piancó
  • Poço de José de Moura
  • Quixabá
  • Salgadinho
  • Santo André
  • São Domingos do Cariri
  • São Domingos de Pombal
  • São João do Cariri
  • São José de Piranhas
  • São José do Sabugi
  • São Sebastião de Lagoa de Roça
  • Serra Redonda
  • Sobrado
  • Soledade
  • Sossêgo
  • Tavares
  • Teixeira
  • Tenório
  • Uiraúna

Maiores informações: CSPUWEB