Posts

Médicos devem suspender atendimento no próximo dia 25 de abril

Com o objetivo de tornar público os abusos praticados pelas operadoras de planos de saúde, os médicos que atendem por convênios irão suspender o atendimento aos pacientes, na próximo dia 25/04/2013, em todo Brasil. Por isso é importante ficar atento, pois as pessoas que marcaram consulta para esse dia deverão agendar nova data. É importante lembrar que casos de urgência e emergência serão atendidos normalmente.

Segundo informações do site do CFM (Conselho Federal de Medicina), a paralisação visa mostrar a insatisfação da categoria com as operadoras de planos de saúde, reivindicar honorários justos e exigir condições adequadas para uma assistência de qualidade aos pacientes, que também acabam sendo lesados.

O movimento acontece pelo terceiro ano consecutivo e haverá diversos atos públicos, como assembleias, caminhadas, concentrações e entregas de panfletos explicativos para os motoristas e pedestres. Em São Paulo, a mobilização da classe acontecerá na Av. Paulista. A manifestação será para lembrar o Dia Nacional de Alerta na Saúde Suplementar e conta com o apoio do Conselho Federal de Medicina (CFM), da Associação Médica Brasileira (AMB) e da Federação Nacional dos Médicos (Fenm).

Fonte: Site Dr. Dráuzio Varella

ANS suspende a venda de 225 planos de saúde de 28 operadoras

Foto: Corbis.com

Foto: Corbis.com

A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) anunciou a suspensão da venda de mais 225 planos de saúde de 28 operadoras a partir de segunda-feira (14/01/2013).

A medida, que terá duração de três meses, foi tomada após o descumprimento de prazos estabelecidos para atendimento médico, realização de exames e internações. Foram 13,6 milhões de reclamações recebidas pela agência entre 19 de setembro e 18 de dezembro de 2012.

Segundo a ANS, os 225 planos de saúde suspensos somam 1,9 milhão de beneficiários (4% do total de clientes de planos no país). O atendimento aos atuais usuários desses planos não será prejudicado, mas não haverá possibilidade de incluir novos dependentes.

Para as 28 operadoras que acumularam três suspensões seguidas, a ANS informou que vai adotar medidas adicionais. Em 16 dessas 28, será implantada a chamada direção técnica, um plano de reestruturação que deve ser seguido por seis meses pela operadora para melhorar seu atendimento. Caso o plano não seja cumprindo, a empresa estará sujeita a novas sanções.

Essa é a terceira vez que o governo federal suspende vendas de planos de saúde. Em outubro de 2012 foram suspensos 301 planos de 38 operadoras. Comparado com o ano anterior, houve diminuição no número de planos punidos, o que demonstra que as ações da agência foram bem sucedidas.

De acordo com a agência, 18 operadoras punidas no relatório anterior, responsáveis por 45 planos, melhoraram seus indicadores e vão poder voltar a realizar a adesão de novos clientes.

ANS implanta novas regras

Atualmente, a avaliação leva em conta apenas as queixas por prazo de atendimento, mas a partir de 2013 outros tipos de reclamações feitas pelos clientes vão servir para a decisão da ANS de suspender ou não a venda dos planos. A ANS vai considerar, por exemplo, casos em que os planos se negam a liberar o atendimento ao cliente, irregularidades na exigência de carência e não pagamento de reembolsos.

O que fazer em caso de atraso no atendimento?

Os consumidores que forem lesados pelas operadoras e não conseguirem uma solução por parte dessas devem entrar em contato com a ANS e denunciar a empresa. Para isso, é importante seguir as instruções da agência:

Após agendar o atendimento, se esse não ocorrer dentro do prazo máximo previsto (veja na tabela abaixo), o consumidor deve entrar em contato com a operadora para tentar resolver o problema e anotar o número de protocolo, que servirá como comprovante da solicitação.

Se mesmo assim não houver solução, o consumidor deve denunciar a operadora usando um dos canais de atendimento da ANS, o telefone 0800 701 9656 ou a Central de Atendimento pela internet, tendo em mãos o número do protocolo.

Outro prazo que as operadoras devem obedecer é o de reembolso. Caso o beneficiário seja obrigado a pagar os custos do atendimento, a operadora deverá reembolsá-lo integralmente (inclusive as despesas com transporte) no prazo de até 30 dias, contados da data da solicitação do pagamento. Leia mais