Seminário Nacional de Educação Popular na Formação em Saúde

O Sistema Único de Saúde tem buscado implantar e disseminar novos modelos de assistência mais adequados à realidade cultural e social da população brasileira e que não se restrinjam ao tratamento de avarias de órgãos lesados dos corpos, mas buscando a integralidade, a promoção da saúde e o enfrentamento dos determinantes sociais dos problemas de saúde. Um dos principais entraves tem sido o perfil da maioria dos profissionais de saúde disponíveis socialmente, formados de forma bastante voltada para o modelo biomédico. Mas há também muitos trabalhadores que vêm desenvolvendo práticas assistenciais muito inovadoras na perspectiva buscada pelo SUS, sendo várias delas orientadas pela Educação Popular. Porém, não basta alguns trabalhadores saberem desenvolver estas práticas; é preciso que este saber se generalize no sistema de saúde.

A recente valorização de metodologias ativas e problematizadoras no ensino em saúde tem ampliado espaço para presença da Educação Popular nesses processos de formação profissional, mas de um modo pouco crítico, em que pouco se discute sobre as diferenças entre as diversas perspectivas pedagógicas que enfatizam estas metodologias. A maior tradição da Educação Popular de priorizar as práticas pedagógicas junto à população e seus movimentos sociais, em contextos pedagógicos informais, tem ainda dificultado a sua aplicação no campo da formação em saúde.

O Ministério da Saúde tem apoiado mudanças nos processos de formação profissional, seja nas universidades, seja nas secretarias de saúde. A Política Nacional de Educação Popular em Saúde aponta para a potência da Educação Popular em contribuir para esta mudança na formação, mas pouco se tem pesquisado, discutido e divulgado sobre os caminhos de aplicação da Educação Popular nos espaços mais formais de ensino. O Seminário foi pensado pelo movimento de Educação Popular em Saúde para pensar estratégias de ampliação da presença da Educação Popular e avaliar sua contribuição na reorientação da formação na saúde e difusão destes conhecimentos e experiências.

METODOLOGIA: Este seminário buscará discutir pesquisas realizadas sobre o tema, identificando e aprofundando as dimensões mais fundamentais para orientação de práticas formativas em saúde na perspectiva da Educação Popular e discutindo os seus desafios em alguns dos contextos de ensino mais importantes. Buscará ainda definir estratégias para o aprofundamento deste debate nacionalmente. Para isto, adotará quatro tipos de metodologias: painéis de pesquisas realizadas, debates de temas transversais, círculo de cultura e plenárias. Serão criados e valorizados espaços e tempos para trabalhos em grupo e discussão coletiva dos temas. Durante o Seminário ocorrerá o lançamento de um número especial da Revista Interface dedicado ao tema da Educação Popular em Saúde.

Informações sobre programação e inscrições, acessar o link: http://seminarioepsformacao.blogspot.com.br/

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × dois =