Padilha incentiva países a universalizarem sistemas de saúde

Consolidar os avanços obtidos, nas últimas duas décadas, no Sistema Único de Saúde (SUS) e em especial na Atenção Básica à Saúde é o principal e atual desafio do Ministério da Saúde. A afirmação foi feita pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, neste domingo (29) à noite, durante a abertura do VI Seminário Internacional de Atenção Básica, no Rio de Janeiro. “Sabemos que conseguimos atingir mais de 100 milhões de brasileiros com muito esforço, e o quanto é difícil manter essa cobertura com o trabalho cotidiano dos agentes comunitários de saúde e das equipes multiprofissionais, mas em qualquer pesquisa que já tenhamos feito com a população quanto a benefícios recebidos, a Estratégia Saúde da Família é sempre citada”, disse Padilha.

Alexandre Padilha – Ministro da Saúde

Alexandre Padilha ressaltou a importância da participação de representantes do BRICS (Brasil, Rússia, Índica, China e África do Sul), por possuírem mais da metade da população mundial, e se adotarem com clareza a opção pela atenção básica à saúde influenciarão a comunidade mundial a segui-los nesse caminho.

O VI seminário, que tem por tema “Universalização e Qualidade”, reúne 1.553 participantes até quarta-feira (01) na discussão de temas de interesse da atenção básica. São 70 mesas de debate, ao todo, que trazem atualização de informações da AB nacional e internacional, pois conta-se com a presença dos coordenadores da atenção básica de todos os Estados brasileiros e representantes de 17 países das Américas, África, Ásia e Europa.

Felix Rigoli, representante da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) e presente à abertura do VI Seminário, reforçou que a experiência de construção de sistemas de saúde baseados na atenção básica, como é o SUS, deve ser universalizada.
Durante a solenidade, o diretor do Departamento de Atenção Básica (DAB), Hêider Aurélio Pinto, apresentou aos participantes a plataforma tecnológica que dará suporte ao Telessaúde Redes. As equipes que atuam nas Unidades Básicas de Saúde vão poder contar com internet 2G e 3G, e melhorar a resolutividade no atendimento a usuários por meio dessa segundo opinião. Hêider Pinto também informou que está em funcionamento o Sistema de Monitoramento de Obras (Sismob) para o acompanhamento completo de convênios para a construção, ampliação e reforma de UBS, e também das Unidades de Pronto-Atendimento (UPA).

Finalmente, o diretor do DAB fez um breve relato a respeito do andamento de trabalhos da avaliação externa e realização de Censo das UBS, promovidas no bojo do Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB). Segundo ele, 33% dos municípios brasileiros já receberam as equipes de avaliadores.

1 comentário em “Padilha incentiva países a universalizarem sistemas de saúde”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *