Estudo: tratamento contra abuso de álcool não exige abstinência

Cerca de 50% dos conselheiros permitem aos pacientes o consumo ocasional das substâncias durante o tratamento.
Foto: Getty Images

Em comparação com uma pesquisa feita há 20 anos, cerca de o dobro de conselheiros no combate ao vício agora acham aceitável que seus pacientes que abusam do álcool tomem pelo menos uma bebida alcoólica ocasionalmente – tanto durante, como ao término do tratamento. As informações são de um novo estudo feito pela American Psychological Association.

Os pesquisadores entrevistaram 913 membros da Associação Nacional de Alcoolismo e Drogas Conselheiros da Toxicodependência dos EUA. Cerca de 50% deles disseram concordar se alguns de seus pacientes que abusam do consumo de álcool quiserem limitar a bebida, mas não abandonar o consumo totalmente. Na pesquisa publicada em 1994, cerca de 25% dos conselheiros concordavam com a situação.

Quando questionados sobre o tratamento de pacientes que abusam do uso de drogas, metade dos conselheiros, no novo estudo, aceitou o uso moderado dos entorpecentes durante o tratamento e um terço concordou com o uso controlado ao final do tratamento.

Alan K. Davis e Harold Rosenberg, do departamento de psicologia da Bowling Green State University, afirmaram que é importante as pessoas saberem da existência de profissionais que não proíbem completamente o uso de álcool e drogas e aceitam o consumo controlado e ocasional.

Abuso x dependência

Entretanto, para pacientes diagnosticados como dependentes de álcool ou drogas – casos considerados mais graves do que o uso abusivo – os conselheiros foram menos flexíveis quanto à permissão de uso ocasional das substâncias. Ao menos três quartos afirmaram não aprovar o consumo limitado ou moderado para dependentes.

Estes pacientes têm um nível de tolerância muito alto em comparação aos que abusam do uso, mas não são viciados. Também experimentam sintomas de abstinência e um senso de compulsão ou perda de controle sobre o uso de drogas, de acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais.

O estudo também descobriu que o uso limitado ou moderado de álcool e drogas pelos conselheiros de tratamento é menos aceitável nos EUA do que em outros países.

 

Fonte: saude.terra.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *