Existe risco à saúde das crianças no uso da tecnologia?

(Foto: Corbis.com)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) veio a público recentemente para informar que um grupo de peritos da International Agency for Research on Cancer – IARC, classificou a radiação eletromagnética dos aparelhos celulares como “possivelmente cancerígeno para os seres humanos,” com base de um risco maior de aumentar a incidência de glioma, um tipo de câncer cerebral maligno.

Essas novas descobertas colocam telefones celulares na mesma categoria que o pesticida DDT entre outros agentes possivelmente cancerígenos. Apesar de Carl Johnson da Forbes.com colocar as coisas no contexto, lembrando que “risco de telefone celular foi colocado na categoria 2B. Essa categoria inclui 266 outros agentes cancerígenos incluindo café e legumes em conserva“.

Esta notícia vem na esteira dos mais recentes estudos independentes reveladas na semana passada pelo Dr. Devra Davis (fundador The Environmental Health Trust, autor da Healthy Child  e membro da equipe do Prêmio Nobel da Paz) que oferecem provas impressionantes confirmando as conclusões do Conselho Europeu de que sinais digitais de telefones celulares são capazes de alterar o DNA, prejudicar o funcionamento do cérebro e diminuir a contagem de esperma. Crianças, por possuírem a calota craniana mais fina, são mais afetadas.

O que você deve fazer?

  1. Manter seu celular longe de seu corpo sempre que é no. Use um fone de ouvido com fio, viva-voz ou texto. Minimize o uso do telefone celular entre crianças, adolescentes e mulheres grávidas.
  2. Sempre que possível envie mensagens de texto, pois estará afastado do corpo.
  3. Não durma com o celular sob o travesseiro, prática usada por muitos adolescentes que usam o celular como despertador
  4. Carregar o celular na bolsa ou em mochilas, sempre que possível

Também cabe a pergunta: “Se telefones celulares causam câncer, o que se diz sobre os Laptops e outros aparelhos?”

Na verdade, radiação do campo elétrico e magnético (CEM) está em torno de nós porque nossas vidas modernas incluem a eletricidade. Computadores, relógios elétricos (despertadores), aparelhos de telefones sem fio (e outras tecnologias sem fio) todos emitem radiação CEM. A questão dos efeitos biológicos desta radiação penetrante é muito controversa.

Perigos para a saúde (incluindo cancerígenas, reprodução, neurológicas, cardiovasculares, hormonais e impactos do sistema imunológico) são identificados por resultados de alguns estudos científicos, mas a evidência que eles fornecem são ainda incompletos e inconclusivos e mesmo, em alguns casos, contraditórios. Até que tenhamos mais informações, algumas comunidades e indivíduos estão adotando a política do “nenhum e com baixo custo” como estratégia de prevenção, isto porque os aparelhos mais simples têm menor campo eletromagnético.

É fácil mover um relógio elétrico a poucos metros de distância de uma mesa de cabeceira e também é simples de sentar-se ainda mais longe do monitor do computador. EMF diminui rapidamente à medida que você se afasta de uma fonte. Ele quase desaparece a distâncias de3 a5 metros. A polêmica deve persistir por algum tempo, portanto cabe a nós acompanhar as notícias e tomar as medidas de precaução que achamos necessária.

Fonte: Sabará Hospital Infantil
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *