Posts

Idosos também precisam manter as vacinas em dia

Pessoas acima dos 60 anos tem um números de doses de vacinas que devem estar em dia para manter a saúde garantir um envelhecimento ativo

Em comemoração à Semana Nacional do Idoso, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde faz um alerta: manter o cartão de vacinação em dia é extremamente importante. A Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa foi criada em 2007 e, desde então, é entregue às secretarias estaduais e municipais de Saúde. Com o cartão em mãos, o paciente tem a oportunidade de registrar informações importantes sobre sua saúde, como controle de peso, glicemia e medicação utilizada.

De acordo com a coordenadora do PNI, Carla Domingues, é muito importante que os idosos mantenham a caderneta atualizada, pois a vacina contra a gripe, por exemplo, protege dos três principais vírus que circulam no Hemisfério Sul. “O grupo dos idosos é o que mais apresenta complicações advindas da gripe e a principal intervenção preventiva em saúde pública é, sem dúvida, a vacinação”, explica.

Para manter a caderneta atualizada, o idoso conta com vacinas contra hepatite B, febre amarela e a pneumocócica 23-valente (para aqueles com indicações nos Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais – CRIES), disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do País.

Cada vacina segue um esquema diferenciado, por isso é necessário que o paciente complete o ciclo determinado por cada uma. “Existem vacinas que necessitam de uma dose, outras de duas ou três. Apenas com o esquema completo, a pessoa vai estar devidamente imunizada, pois o organismo vai criar anticorpos em níveis adequados e a vacina terá uma eficácia em torno de 95 a 100%. Um exemplo é a hepatite B: você toma uma dose, depois de trinta dias outra e com seis meses, você toma a terceira dose. Mas, infelizmente, muitos se esquecem da terceira dose”, afirma Carla.

Segundo dados da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, em 2012, a cobertura total da campanha de vacinação contra a influenza A – principal campanha destinada aos idosos – foi de 86%. “A campanha anual de vacinação, realizada entre os meses de abril e maio, contribuiu ao longo dos anos para a prevenção da gripe nos grupos imunizados, além de apresentar impacto de redução das internações hospitalares, mortalidade evitável e gastos com medicamentos para tratamento de infecções secundárias”, explica a coordenadora.

Ela lembra que a cobertura vacinal do PNI engloba diferentes faixas etárias. “Vale ressaltar que as UBS não disponibilizam vacinas apenas para os idosos, mas também para as crianças, adultos e adolescentes e população indígena”, afirma Carla.

PNI

O programa nasceu em 1973 com o objetivo de coordenar as ações de imunizações no Brasil. Mas há quase quatro décadas, vem mudando a história do país. Ao longo do tempo, sua atuação apresentou avanços consideráveis e hoje, é parte integrante do Programa da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Fonte: Portal Saúde

Atividade Física da Terceira Idade

Sempre ativo!

Assim deve ser o dia a dia de todos os indivíduos. Para o idoso, geralmente aposentado e sem maiores obrigações de atividades fora de casa, ser sempre ativo é ainda mais do que necessário, é indispensável. Ser sempre ativo reduz o risco de doenças crônicas, principalmente as cardiovasculares, que são as que mais matam no Brasil.

Veja que interessante: andar rapidamente meia hora cinco dias na semana reduz o risco de infarto do miocárdio em 14%. Se for uma hora, 20% de redução. Procurar subir e descer escadas ao invés de usar o elevador  também protege contra doenças. Se forem 32 lances de escada por semana o risco de doenças do coração diminui em 28%. Tudo isso sem gastar um centavo. Então, por que não tentar?

Outro exercício que deve ser feito é o de força, antigamente chamado demusculação. Esses exercícios na terceira idade são ainda mais importantes, porque o idoso perde massa muscular e o exercício de força diminui esta perda, além de fortalecer os ossos, reduzir o risco de quedas e de suas complicações, caso elas venham a acontecer, além de diminuir o trabalho do coração.

Portanto, para aquele da terceira idade a recomendação é menos tempo na frente da televisão e do computador e muito mais minutos destinados ao exercício físico. Ande, ou use a bicicleta, regular e rapidamente pelo menos 30 minutos, de preferência todos os dias, ou pelo menos cinco dias na semana, e faça exercício de fortalecimento muscular.

O que seria o ideal? Bom, se souber que já tem problema no coração, tem que consultar o médico para saber se pode se exercitar agora ou só mais tarde. Dependendo, pode ser até que o esporte que desejar praticar possa também ser autorizado por ele. Caso o médico o libere para atividade física, ficar parado, sentado, dormindo excessivamente é de muito mais risco do que manter-se sempre ativo. Nada é mais saudável e traz mais benefício para a saúde. Agora, se durante o exercício ou mesmo fora dele começar a sentir dor ou desconforto no peito, palpitações, tonturas, falta de ar e cansaço, mesmo nos esforços leves, interrompa os exercícios e consulte o médico. Ele irá orientá-lo se deverá ou não continuá-los ou se terá que aguardar até concluir a investigação do seu caso.

Temos 4 conselhos para uma vida saudável:

  1. Aumente a ingestão de alimentos como peixes, legumes, verduras e frutas e evite comidas gordurosas de origem animal e o excesso de sal e doces.
  2. Procure desenvolver um bom relacionamento familiar e de amizade entre todos.
  3. Tenha sempre uma noite de sono reparador.
  4. Procure manter-se ativo em todos os momentos possíveis, estimulando a si próprio a ter esses momentos.

Fique atento e aceite as nossas sugestões e pratique atividade física.

Texto adaptado do artigo disponível no site da Associação Brasileira de Cardiologia.