Posts

Mitos e verdades: odontologista explica sobre saúde dos dentes

Corbis.com

Corbis.com

Cuidar corretamente da boca é fundamental para mantê-la saudável e evitar o surgimento de uma série de problemas nos dentes e na gengiva. Existem muitos mitos em relação ao que realmente deve ser feito para uma boa manutenção desta parte do corpo. A odontologista Fabiana Tentardini, do Grupo Hospitalar Conceição (GHC), esclarece algumas dúvidas.

Bebidas alcoólicas deixam os dentes escuros. Verdade.

“As bebidas alcoólicas podem comprometer a saúde bucal por conter substâncias corrosivas e pigmentos que fazem escurecer os dentes.”

Cigarro causa gengivite. Meia verdade.

“Sim, a gengivite é uma inflamação na gengiva causada pelo excesso de placa bacteriana. O cigarro não causa gengivite, porém é um fator coadjuvante na piora, além de ser um complicador na cicatrização da doença.”

Bebês que ainda não possuem dentes não precisam realizar higienização oral. Mito.

“Não, mesmo sem dentes é importante que os pais façam limpeza da gengiva dos bebês com gazes umedecidas. Além disso, quando há alimentação noturna deve ser retirado todo o resto de comida.”

Comer doce em excesso aumenta a incidência de cáries. Verdade.

“A frequência no consumo de alimentos doces, principalmente os com sacarose, aumenta o desenvolvimento das cáries. O açúcar não agride o esmalte dos dentes, mas ele serve de alimento para as bactérias que liberam substâncias ácidas, provocando um processo de descalcificação do tecido bucal, além de diminuir o cálcio do dente. É fundamental que a pessoa consuma esses alimentos com moderação e tenha hábitos de higienização.”

Dor nos dentes significa problemas na gengiva. Meia verdade.

“Nem sempre. Essa dor pode ser na gengiva, como também nos dentes, ossos, ligamentos. Além de poder está relacionada com outras articulações da face, por exemplo, a mandíbula ou musculatura. Todos esses fatores podem repercutir em dor.”

Comer hortaliças ajuda na saúde dos dentes. Verdade.

“Ajuda no sentido de adquirir uma alimentação saudável, com baixo teor de açúcar, diminuindo assim o risco de cáries. Além disso, esses alimentos são fontes de vitaminas e sais minerais. Outro fator positivo é a mastigação, que produz mais saliva e isso ajuda a banhar os dentes com o flúor natural.”

Comer uma maçã após o almoço ajuda a diminuir as placas. Meia verdade.

“Em partes, mas esta ação não é suficiente para substituir a limpeza bucal, escovação, fio dental e flúor. Apesar da maçã ser um alimento saudável e inibir a formação da placa bacteriana, por conta da sua dureza não substitui a higienização.”

Chiclete sem açúcar auxilia contra as cáries. Mito.

“A prevenção de cáries se dá através da higienização bucal. O chiclete sem açúcar não causa cáries, mas também não previne. Além disso, a mastigação de chicletes pode levar a uma fadiga muscular e acentuar problemas relacionados ao bruxismo, por exemplo.”

Confira algumas dicas para colocar a higienização em dia:

  • Não consuma açúcar em excesso e evite o consumo no período noturno;
  • Recomenda-se a escovação pelo menos duas vezes ao dia, principalmente após cada refeição e antes de dormir;
  • A escovação da língua é fundamental para evitar mau hálito;
  • Use o fio dental e flúor periodicamente;
  • Opte por cremes dentais com flúor;
  • Escovas macias não machucam a gengiva;
  • Lave bem a escova depois de usar;
  • Visite o dentista a cada seis meses. Leia mais

Ponha no prato alimentos que deixam dentes e gengivas saudáveis

Escovação, aliada à dieta, promove mordida mais forte e sorriso mais branco. (Foto: Corbis.com)

Escovação, aliada à dieta, promove mordida mais forte e sorriso mais branco. (Foto: Corbis.com)

Escova, pasta de dente e fio dental são indispensáveis para ter dentes saudáveis. Mas se engana quem pensa que eles são os únicos aliados da saúde bucal. A dentista Oneida Werneck, presidente da Sociedade Brasileira de Reabilitação Oral, explica que alguns alimentos são fundamentais para deixar dentes e gengivas saudáveis. “Eles não substituem os cuidados básicos com a saúde bucal, mas se somam a eles para conseguir dentes perfeitos.” Que tal mudar a alimentação e distribuir mais sorrisos de hoje em diante?

Vitamina C – Oneida Werneck explica que a falta de vitamina C causa sangramento das gengivas e diminuição da massa óssea, o que pode levar a perda dos dentes. Mas é bom não exagerar no consumo de alimentos muito ácidos – como a laranja e o abacaxi, ricos em vitamina C – que causam desmineralização e deixam o dente mais poroso. E, ao tomá-los, use canudinhos, impedindo o contato direto com os dentes. Outra opção é fazer um bochecho com água pura ou mesmo tomar um copo de água para neutralizar o ácido logo após sua ingestão. “Não se aconselha a escovação dos dentes nesta hora, pois o atrito da escova com o esmalte descalcificado faz com que ele se desgaste ainda mais”, recomenda a especialista.

Alimentos fibrosos – A mastigação de alimentos ricos em fibras, além de contribuir para a saúde gastrointestinal, tem a capacidade de promover a autolimpeza dos dentes, evitando a formação de placa bacteriana, a causadora de cáries e gengivite. “Além disso, frutas como maçã e pera podem substituir doces bem açucarados, os principais responsáveis pelas cáries”, afirma Oneida Werneck.

Leite e derivados – O cálcio presente no leite e derivados dele é essencial para garantir ossos fortes e saudáveis. E o mesmo vale para os dentes. O nutriente é parte da composição dos dentes e, em níveis adequados, garante uma boa saúde a eles, principalmente durante a sua formação. Mas o cirurgião dentista Rodrigo Guerreiro Bueno de Moraes, consultor científico da Associação Brasileira de Odontologia (ABO), explica que esses não são a única fonte de cálcio. Folhas verdes escuras, como a couve, podem compensar essa demanda – especialmente para quem não gosta ou não tolera a lactose.

Água – “O consumo de água (com gás ou não)é importante para eliminar detritos, açúcares e ácidos”, afirma Oneida Werneck. Além disso, a água das grandes cidades é fluoretada, que reforça a resistência do esmalte do dente. “Quando ingerido durante a formação dos dentes, isso é, até os doze anos de idade, o flúor torna os dentes muito mais resistentes à cárie por toda a vida”.

Chiclete sem açúcar – Mascar chicletes sem açúcar entre as refeições estimula a formação desaliva, o que contribui para a limpeza dos dentes. O cirurgião dentista Rodrigo conta que essas gomas se tornam ainda mais valiosas quando providas do xilitol (veja o rótulo), um adoçante que ajuda o processo de remineralização dentária e contribui para a longevidade e a proteção dos dentes.

Alimentos crus – Para mastigar alimentos crus, geralmente é necessário fazer mais força com os ossos da mandíbula e do maxilar.”Essa força deixa os ossos que sustentam os dentes mais fortes, garantindo firmeza a eles”, conta Rodrigo Guerreiro. Mas não são apenas os alimentos crus, como maçãs, que ajudam, outros alimentos mais difíceis de mastigar (como a carne) também cumprem o papel.

Vitamina D – O papel mais conhecido da vitamina D é sua atuação na absorção dos minerais cálcio e fósforo, relacionados à formação óssea. “A vitamina D aumenta a eficiência da absorção intestinal de cálcio em até 40% e a de fósforo em 80%”, afirma a nutricionista Thais Souza, da rede Mundo Verde. Essa influencia também aparece na arcada dentária, onde a vitamina D ajuda na fixação do cálcio nas bases ósseas e dentárias.

 

Fonte: Site Minha Vida