Posts

Transporte precário pode causar problemas de saúde

Clique para expandir

Clique para expandir

Horas e horas gastas em engarrafamentos e no transporte público precário custam não apenas o tempo das pessoas, mas também a saúde. É o que sugere um relatório produzido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), intitulado “Transporte, ambiente e saúde”. O documento afirma que meios de locomoção eficientes ajudam a reduzir índices de mortalidade, através da prevenção de doenças respiratórias e cardiovasculares e também de acidentes de trânsito.

De acordo com o cirurgião da coluna Paulo Ramos, do Hospitalys, quando se passa menos tempo dentro do transporte público, o perigo de contágio de doenças respiratórias é menor. Além disso, o estresse decorrente da viagem diminui, e sobram mais horas do dia para praticar exercícios físicos, que reduzem o risco de obesidade e problemas cardiovasculares.

Especialmente em meios de transporte superlotados, em que as pessoas ficam em pé por longos períodos e “espremidas” umas contra as outras, a chance de desenvolver varizes e dores nos ombros e na coluna cervical é maior. Para os passageiros que viajam sentados, permanecer na poltrona por mais de 40 minutos implica o risco de dores lombares.

— O disco vertebral é submetido a grande estresse, principalmente quando a postura está errada — diz o cirurgião da coluna Paulo Ramos. — No trânsito, a pessoa ainda está vulnerável ao balanço do veículo. Sobretudo para mulheres com osteoporose, isso aumenta o risco de fratura na coluna.

Segundo o pneumologista Alexandre Pinto Cardoso, do Hospital Universitário da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a exposição à poluição do ar produzida por veículos pode causar irritação em olhos e vias aéreas. Quem já tem alergia, asma e bronquite pode sentir piora.

Fonte: http://www.portaldoconsumidor.gov.br

Dor na coluna – causas e tratamento

(Foto: Corbis.com)

A popularmente chamada dor na coluna pode vir de músculos, nervos, ossos, articulações ou outras estruturas na coluna vertebral. A dor pode ser constante ou intermitente, restrita a um local ou irradiar para outras áreas. A dor pode ser sentida no pescoço (podendo irradiar para os braços), coluna superior, ou na região lombar (podendo irradiar para as pernas).

Dor na coluna é um dos incômodos mais comuns da humanidade. Nos Estados Unidos a dor na região lombar, também chamada de lombalgia, é quinta causa mais comum de consultas médicas. Em torno de 90% dos adultos experimentam dor na coluna em algum ponto da vida, e 50% dos adultos que trabalham têm dor de coluna todos os anos.

Gravidade do problema de dor na coluna

Em geral a dor na coluna não é sinal de problema médico sério. A grande maioria dos casos de dor na coluna são benignos e não progressivos. A maioria das síndromes de dor na coluna são devido a inflamação, especialmente na fase aguda, a qual geralmente dura de duas semanas a três meses.

Embora seja raro, a dor na coluna pode ser sinal se problema médico grave nos seguintes casos:

  • Os sinais de alerta típicos de problema que requer tratamento para toda a visa são incontinência dos intestinos e/ou da bexiga, ou fraqueza progressiva nas pernas. Pessoas com esses sintomas devem procurar cuidados médicos
  • Dor na coluna é severa, como aquela que é forte o suficiente para interromper o sono, a qual ocorre junto com outros sinais de doença séria (febre, perda de peso), pode indicar um problema médico sério como câncer.
  • A dor na coluna ocorre depois de um trauma, como acidente de carro ou queda, a qual deve ser rapidamente avaliada por um médico para verificar a ocorrência de fratura ou outra lesão.
  • A dor na coluna ocorre em pessoas com problemas médicos que as coloca sob risco de fratura, como osteoporose e mieloma múltiplo. Nesses casos há necessidade de atenção médica.

Causas da dor na coluna

A coluna vertebral é uma interconexão complexa de nervos, articulações, músculos, tendões e ligamentos, todos esses capazes de causar dor. Nervos longos que se originam na coluna e vão até as pernas e braços podem fazer a dor irradiar para as extremidades. A dor nas costas alguma vezes também ocorre quando não há nenhum problema anatômico aparente. Distensão muscular é a causa mais comum de dor lombar, a qual costuma desaparecer entre duas e seis semanas.

Quando a dor na coluna dura mais de três meses, ou quando há mais dor na perna do que nas costas, geralmente é necessário um diagnóstico mais específico. Há várias causas para a dor na região lombar e pernas: para adultos de menos de 50 anos elas incluem prolapso ou hérnia de disco e doença degenerativa do disco; para pessoas acima de 50 as causas mais comuns são osteoartrite e estenose espinhal.

Tratamento da dor na coluna

Nem todos os tratamentos para dor na coluna funcionam para os diversos casos e indivíduos na mesma condição, e muitos acham que precisam tentar varias opções de tratamento para descobrir o que funciona melhor. Apenas em uma minoria, estimada entre 1-10% dos casos, requer cirurgia. Geralmente acredita-se que alguma forma de alongamento e exercício físico consistente sejam um componente essencial dos programas para tratamento de dor de coluna.

Fonte: http://www.copacabanarunners.net/dor-na-coluna.html