Programa Saúde na Escola

O Programa Saúde na Escola (PSE) visa a integração e articulação permanente da educação e da saúde, proporcionando melhoria da qualidade de vida da população brasileira. O PSE tem como objetivo contribuir para a formação integral dos estudantes por meio de ações de promoção, prevenção e atenção à saúde, com vistas ao enfrentamento das vulnerabilidades que comprometem o pleno desenvolvimento de crianças e jovens da rede pública de ensino.

O PSE foi reestruturado a partir da Portaria nº 1.055, de 25 de abril de 2017. A publicação da nova portaria do PSE objetivou simplificar e fortalecer a implementação do PSE em todo território nacional.

Conforme a Portaria nº 1.055, o PSE passa a ter adesão bienal, ou seja, terá um ciclo de dois anos de vigência. Isso significa que o município pactua doze ações e outras que queira incluir para serem realizadas em cada ano do ciclo. Ao final de cada ano do ciclo a gestão federal informa o balanço do monitoramento realizado a partir das informações registradas, enviadas e validadas no Sistema de Informação em Saúde para a Atenção Básica (SISAB). O primeiro ano do ciclo 2017/18 se iniciou em janeiro de 2017. Todas as informações lançadas no e-SUS a partir dessa data serão monitoradas pela gestão federal. As ações que foram realizadas de janeiro de 2017 à marco de 2018 serão analisadas no monitoramento. O monitoramento esse que levará em consideração o disposto no Documento Orientador: Indicadores e Padrões de Avaliação – PSE  Ciclo 2017/2018.

Em 20 de outubro de 2017, foi publicada a Portaria 2.706 que homologa os Municípios aderidos ao Programa habilitando-os ao recebimento do teto de recursos financeiros pactuados.

Somente após a publicação da Portaria 2.706, os recursos foram transferidos pelo Fundo Nacional de Saúde diretamente para os Fundos Municipais de Saúde por meio do Bloco de Financiamento da Atenção Básica, componente Piso da Atenção Básica- PAB Variável.

Com base nos objetivos e diretrizes do Programa Saúde na Escola previstos na Portaria nº 1055 de 25 de abril de 2017, (principalmente os objetivos I e II e diretriz I) e considerando o princípio da razoabilidade, o qual permite a administração pública agir da melhor maneira possível dentre as opções permitidas levando-se em consideração tudo o que é relevante para a obtenção dos objetivos inicialmente estabelecidos pela administração pública, esta área técnica se manifesta favoravelmente à dilação do prazo de inserção das ações pelos Municípios no SISAB.

Nessa perspectiva, o prazo  para informação das ações do PSE no SISAB passa a ser 20/04/2018, competência de março.

Programa Saúde na Escola – PSE
Departamento de Atenção Básica – DAB/SAS/MS

Monitoramento Programa Academia da Saúde: Segundo Ciclo

academia_saudeO 2º Ciclo do Monitoramento do Programa Academia da Saúde de 2014 ocorrerá no mês de novembro, por meio do preenchimento do formulário eletrônico Formsus. Este processo ocorrerá, mais uma vez, de forma compartilhada entre o Ministério da Saúde (MS), a Secretaria Estadual de Saúde (SES) e as Secretarias Municipais de Saúde (SMS).

Para darmos início ao processo, estamos encaminhando, disponível abaixo na seção links, um Informativo às Secretarias Municipais de Saúde com detalhamentos importantes sobre o monitoramento e o Link de acesso ao formulário municipal; o Manual de Orientação de Preenchimento do Formulário, que pode ser consultado em caso de dúvidas quanto ao preenchimento do formulário; bem como a Planilha de Funcionamento do Programa, que deverá ser preenchida e anexada em campo específico ao final do formulário.

A Planilha de Atividades em EXCEL só deverá ser preenchida por Municípios com Pólos em Funcionamento.

Vale salientar que o município só deverá preencher um único formulário embora seja contemplado por mais de um Pólo.

Informamos ainda que o acesso ao formulário municipal, que é de preenchimento da SMS, só será disponibilizado no período de 03 a 15 de novembro de 2014.

Lembramos ainda que o FORMSUS só abrirá no dia 03 de Novembro.

Seque lista dos municípios que deverão preencher o formulário:

ÁGUA BRANCA
AGUIAR
ALAGOA GRANDE
ALAGOA NOVA
ALAGOINHA
ALCANTIL
ALHANDRA
ARACAGI
ARARUNA
AREIAL
AROEIRAS
ASSUNÇÃO
BANANEIRAS
BARAÚNAS
BARRA DE SANTA ROSA
BARRA DE SANTANA
BARRA DE SÃO MIGUEL
BELÉM
BELÉM DO BREJO DO CRUZ
BERNARDINO BATISTA
BOA VISTA
BOM JESUS
BONITO DE SANTA FÉ
BOQUEIRÃO
BORBOREMA
BREJO DO CRUZ
CAAPORÃ
CABACEIRAS
CABEDELO
CACHOEIRA DOS ÍNDIOS
CACIMBA DE AREIA
CACIMBA DE DENTRO
CACIMBAS
CAIÇARA
CAJAZEIRAS
CAJAZEIRINHAS
CALDAS BRANDÃO
CAMALAÚ
CAMPINA GRANDE
CARRAPATEIRA
CASSERENGUE
CATINGUEIRA
CATOLÉ DO ROCHA
CONCEIÇÃO
CONGO
COREMAS
CUBATI
CUITÉ
CUITÉ DE MAMANGUAPE
CUITEGI
DAMIÃO
DESTERRO
DIAMANTE
DONA INÊS
DUAS ESTRADAS
EMAS
ESPERANÇA
FAGUNDES
FREI MARTINHO
GADO BRAVO
GUARABIRA
GURJÃO
IBIARA
IMACULADA
INGÁ
ITABAIANA
ITAPORANGA
JERICÓ
JOÃO PESSOA
JOCA CLAUDINO
JUAZEIRINHO
JUNCO DO SERIDÓ
JURU
LAGOA DE DENTRO
LIVRAMENTO
LOGRADOURO
LUCENA
MÃE D’ÁGUA
MALTA
MAMANGUAPE
MANAÍRA
MARCAÇÃO
MARI
MATARACA
MATUREIA
MOGEIRO
MONTEIRO
MULUNGU
NATUBA
NAZAREZINHO
NOVA FLORESTA
NOVA PALMEIRA
OLHO D’ÁGUA
OLIVEDOS
OURO VELHO
PARARI
PATOS
PAULISTA
PEDRA BRANCA
PEDRO RÉGIS
PIANCÓ
PICUÍ
PILAR
PILÕES
PILÕEZINHOS
POCINHOS
POÇO DANTAS
POÇO DE JOSÉ DE MOURA
POMBAL
PRINCESA ISABEL
QUEIMADAS
REMÍGIO
RIACHÃO DO POÇO
RIO TINTO
SALGADO DE SÃO FÉLIX
SANTA CECÍLIA
SANTA CRUZ
SANTA HELENA
SANTA LUZIA
SANTA RITA
SANTANA DE MANGUEIRA
SANTANA DOS GARROTES
SANTO ANDRÉ
SÃO BENTINHO

MAYARA DINAMINE
GOABS/SES/PB

Links:

Monitoramento Requalifica UBS – Situação PB Obras 2009-2012

Em virtude dos prazos e critérios estabelecidos pelo Programa de Requalificação de UBS, reforçamos através deste comunicado a importância da mobilização municipal nos processos de regularização das propostas junto ao Sistema de Monitoramento de Obras – SISMOB e Fundo Nacional de Saúde uma vez que:

  • Para ser considerados aptos (seja para aprovação dos pleitos em 2013, bem como para regularização do repasse de recurso)todas as obras de construção, reforma e ampliação de UBS necessitam está monitoradas e com as informações atualizadas no SISMOB;
  • Os gestores municipais devem estar atentos aos PRAZOS PARA PROPOSTAS HABILITADAS NO PERÍODO DE 2009 A 2012, em especial no que tange a emissão da Ordem de Início de Serviço e inserção da mesma nos respectivos Sistemas (SISMOB ou FNS)até o dia 05 de setembro de 2013. Os municípios devem agilizar todo processo licitatório para viabilização da execução da obra.

IMPORTANTE

  • Caso ainda não possua acesso ao SISMOB é necessário cadastrar com a senha do Fundo Municipal de Saúde o prefeito, engenheiro e técnico da SMS;
  • Se ainda não foi atualizado o cadastro junto a DICON PB do Núcleo Estadual do Ministério da Saúde, entre em contato pelo telefone (83) 3612-3431 e 3612-3432 com a Seção de Habilitação e Análise de Projeto ou pessoalmente pelo endereço: Avenida Desembargador Souto Maior, 244, Centro, João Pessoa – PB;
  • Os Municípios deverão visualizar a situação das suas propostas diretamente no SISMOB ou através da Nota Técnica disponível no Portal do DAB http://dab2.saude.gov.br/dab/sistemas/notatecnica/frmListaMunic.php

NOVIDADES NO SISMOB E SAGE

  • No mês de agosto de 2013, todos os municípios com obras de construção que foram concluídas já podem inserir informações sobre a data em que a obra foi inaugurada e o número do CNES da nova UBS!!
  • O Ministério da Saúde visando melhorar o acolhimento aos usuários e as condições de trabalho para os profissionais, disponibilizará no SISMOB os Projetos Executivos de Arquitetura dos quatro portes de UBS. Nesse Projeto o gestor encontrará todos os elementos necessários e suficientes à execução completa da obra. Estará disponível no SISMOB, e no Portal do DAB em setembro / 2013. Destacamos que o uso desse projeto não será obrigatório e que seu uso ficará a critério do município;
  • A Sala de Apoio a Gestão Estratégica (SAGE) já possibilita o acompanhamento das metas físicas, coberturas e repasses financeiros relacionados às principais ações e programas do Ministério da Saúde (MS). Para monitoramento das obras qualquer cidadão poderá acompanhar as reformas, ampliações ou construções das UBS de seu município, inclusive com as visualizações das fotografias postadas pelo gestor no SISMOB do MS através do endereço:http://189.28.128.178/sage/ e clique em ATENÇÃO A SAÚDE – Escolha o Estado e depois o Município.

Estado da Arte na PB (propostas 2009 a 2012), conforme relatório do dia 02.09.13

Componente Reforma

  • 80 municípios participantes;
  • 240 propostas aprovadas:
    • 56 foram concluídas;
    • 232 propostas estão sendo monitoradas pelo SISMOB, ou seja, 08 devem ser cadastradas no sistema;
    • 194 cadastraram a ordem de início de serviço (OS) no sistema (FNS), 46 propostas ainda faltam cadastrar a OS;
    • 19 propostas apresentam diligência, ou seja, necessitam de adequações no SISMOB;
    •  103 propostas não são atualizadas/monitoradas há mais de 02 meses no SISMOB. Devem atentar para a suspensão do recurso.

Componente Ampliação

  • 73 municípios participantes;
  • 156 propostas aprovadas (153 por Programa e 03 Emendas Parlamentares):
    • Apenas 09 foram concluídas;
    • 143 propostas estão sendo monitoradas pelo SISMOB, ou seja, 13 devem ser cadastradas no sistema;
    • 103 cadastraram a ordem de início de serviço (OS) no sistema (FNS), 53 propostas ainda faltam cadastrar a OS;
    • 29 propostas apresentam diligência, ou seja, necessitam de adequações no SISMOB;
    • 25 propostas não são atualizadas/monitoradas há mais de 02 meses no SISMOB. Devem atentar para a suspensão do recurso.

Componente Construção

  • 113 municípios participantes;
  • 197 propostas aprovadas (105 por Programa e 92 Emendas Parlamentares):
    • Apenas 62 foram concluídas;
    • 188 propostas estão sendo monitoradas pelo SISMOB, ou seja, 09 devem ser cadastradas no sistema;
    • 160 cadastraram a ordem de início de serviço (OS) no sistema (FNS), 37propostas faltam cadastrar a OS;
    • 68 cadastraram o atestado de conclusão da obra no sistema (FNS), 129 propostas faltam cadastrar a OS;
    •  46 propostas não são atualizadas/monitoradas há mais de 02 meses no SISMOB. Devem atentar para a suspensão do recurso.

 Para maiores informações e esclarecimentos entrar em contato com a Gerencia de Atenção Básica/SES 3218-7409 / 3218-7424 Gilvânia Alves e Priscila Nunes gilvaniafarma@yahoo.com.br/  priscila.anjos@saude.gov.br / priu_nunes@msn.com

QUALIFAR-SUS: Situação Paraíba – 23/ago

qualifar-susApenas 09 municípios da Paraíba ainda NÃO entregaram o Termo de adesão. Segue lista:

  • Araçagi
  • Cabaceiras
  • Cruz do Espírito Santo
  • Natuba
  • Olivedos
  • Picuí
  • Princesa Isabel
  • Sobrado
  • Umbuzeiro

 

Não esqueça! O prazo final é dia 28 de agosto.

Faltam apenas 03 dias.

QUALIFAR-SUS Situação 22/ago – Paraíba

[notice]

Municípios que ainda não entregaram o termo de adesão

  • Alcantil
  • Araçagi
  • Cabaceiras
  • Cruz do Espírito Santo
  • Natuba
  • Olivedos
  • Picuí
  • Princesa Isabel
  • São José dos Ramos
  • Sobrado
  • Umbuzeiro

[/notice]

Brasil Sorridente: MS aumenta recursos para saúde bucal

Foto: Maressa Ribeiro, da Agência Saúde

Foto: Maressa Ribeiro, da Agência Saúde

Ministério da Saúde está destinando R$ 36,2 milhões para a habilitação de 370 novos Laboratórios Regionais de Prótese Dentária. A  Portaria nº 1.585, publicada neste mês no Diário Oficial, tem o objetivo de financiar a confecção de próteses odontológicas, como dentaduras, em 425 municípios brasileiros.  O valor será repassado do Fundo Nacional de Saúde aos fundos estaduais e municiais de saúde. Os laboratórios beneficiados estão localizados em diversos estados de todas as regiões do país.

O investimento integra as ações estratégicas do programa Brasil Sorridente e amplia o credenciamento dos Laboratórios Regionais de Próteses Dentárias de 1.429 para 1.799 em todo país. O Ministério da Saúde também está aumentando os recursos de incentivo para a confecção de próteses, recurso que passou  de R$ 100 para R$ 150, por unidade. Somente no último ano, 413.275 próteses foram produzidas no Brasil.

[pullquote align=”left|” textalign=”left” width=”30%”]O Estado da Paraíba teve  contemplado 36 municípios, com o investimento superior a R$ 2.800.000,00.[/pullquote]

Os laboratórios fazem parte do Programa Brasil Sorridente, iniciativa inédita do Governo Federal para oferecer saúde bucal de qualidade para a população. Até 2003, praticamente não havia oferta de próteses odontológicas no Sistema Único de Saúde (SUS). Com a criação destes laboratórios, a rede pública de saúde passou a ofertar o serviço reabilitador, uma das principais necessidades relacionadas à saúde bucal.

Mais recursos

Também está sendo repassado pelo Ministério da Saúde recursos para Centros de Especialidades Odontológicas na região Nordeste. Os municípios de Orós, no Ceará, e Alagoa Nova, em Alagoas vão receber o valor de R$ 8.250, cada um para custeio de um CEO tipo I. Já o município de São Raimundo Nonato (Piauí) vai receber R$ 11 mil para a unidade de tipo II da região. A Portaria Nº 1.647, publicada neste mês, determina a transferência automática dos recursos mensais para os Fundos Municipais de Saúde correspondentes.

Programa

Criado em 2004, o Programa Brasil Sorridente faz parte da Política Nacional de Saúde Bucal e prevê uma série de ações para facilitar e ampliar o acesso da população ao tratamento odontológico gratuito aos brasileiros por meio do SUS.

Entre as medidas do programa, destacam-se as ações de promoção e prevenção, com viabilização da adição de flúor nas estações de tratamento de águas de abastecimento público; a reorganização da Atenção Básica em saúde bucal, principalmente com a implantação das Equipes de Saúde Bucal na Estratégia Saúde da Família; a ampliação e qualificação da Atenção Especializada, especialmente com a implantação dos Centros de Especialidades Odontológicas e a reabilitação protética, por meio dos Laboratórios Regionais de Próteses Dentárias.

O programa Brasil Sorridente beneficia, atualmente, 70,6 milhões de brasileiros. Hoje, são 22.213 equipes de Saúde Bucal (ESB) no país. Em 2010, o número era de 20.424. O programa cobre 4.903 municípios. Em 2010, eram 4.830 municípios, abrangendo mais de 65,1 milhões de habitantes.

Atualmente, o país conta com 942 Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs), em 773 municípios brasileiros. Em 2010, eram 853 CEOs, e em 2011 saltou para 882. Para 2013, está previsto a abertura de 100 novos Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs), a maioria na região Norte para atender 250 municípios.

Fonte: Blog da Saúde

Mais Médicos – últimas informações

mais_medicosHoje (26), o Ministro da Saúde, em coletiva de imprensa juntamente com Conass e CONASEMS, apresentou os primeiros resultados do Programa Mais Médicos. Antes de apresentarmos os pontos principais dessa avaliação, avisamos: OS MUNICÍPIOS QUE NÃO CONSEGUIRAM FAZER ADESÃO AO PROGRAMA, PODEM SE INSCREVER A PARTIR DO DIA 15 DE AGOSTO.

O programa Mais Médicos para o Brasil encerrou, à meia-noite desta quinta-feira (25), seu primeiro mês de inscrições com a adesão de 3.511 municípios, que equivalem a 63% do total de prefeituras no Brasil e a 92% das consideradas prioritárias para o programa. Juntas, estas cidades apresentaram demanda e capacidade para terem 15.460 médicos atuando na atenção básica. Repetindo, o segundo mês de adesão terá início no dia 15 de agosto.

Entre os municípios inscritos, 92% já acessaram recursos federais para melhorar a infraestrutura das suas unidades básicas de saúde e 90% participam de ações do Ministério da Saúde para melhorar a qualidade do atendimento prestado.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, destacou a forte mobilização de estados e municípios, em especial daqueles situados em áreas prioritárias. “Chamo a atenção para o fato de que nenhuma região teve índice de adesão menor do que 55%. Em especial, ressalto o bom resultado do Norte do país, em alguns estados mais de 90% dos municípios se inscreveram. Com esse mapeamento, teremos mais clareza do esforço que deveremos fazer para atender à população onde faltam médicos no Brasil”, declarou o ministro.

Padilha destacou ainda o aumento da demanda por médicos no país do início do ano para cá. “Não só faltam médicos na atenção básica como cresceu a demanda. Pela chamada do Provab, realizada no início do ano, tínhamos 9 mil vagas. Em 15 dias de inscrições no programa, os municípios mostram que há mais de 15 mil vagas. Ou seja, os dados da adesão mostram que faltam médicos no Brasil e que a carência desses profissionais aumentou desde o início do ano”. O Programa de Valorização da Atenção Básica (Provab), criado pelo Ministério da Saúde em 2011, estimula médicos a atuarem na atenção básica do país.

A região Norte teve a maior participação de seus municípios (73%), seguida de Sul (68%), Nordeste (66%), Centro-Oeste (60%) e Sudeste (55%). Entre os estados, destacam-se o Amazonas (97%), Amapá (94%), Acre (86%), Rondônia (85%), Ceará (82%), Roraima (80%), Bahia (76%), Piauí (74%), Pará (73%), Paraná (72%) e Espírito Santo (71%).

O secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (Segets), Mozart Sales, elogiou o resultado do primeiro mês de seleção do Mais Médicos. “Estamos muito satisfeitos com o andamento do processo. O resultado demonstrou que nossa análise estava correta, porque a adesão dos municípios prioritários foi extremamente significativa”, afirmou.

Todos os profissionais serão avaliados e supervisionados por universidades federais. Nesta primeira etapa, 41 instituições, de todas as regiões do País, se inscreveram no Mais Médicos.

MÉDICOS

Desde o lançamento do edital, em nove de julho, 18.450 médicos se inscreveram no programa. Neste universo, os filtros estabelecidos pelo Ministério da Saúde para evitar inscrições de quem não tinha real interesse em atender a população de municípios do interior e da periferia das grandes cidades identificaram 8.307 pedidos de participação com números inválidos de registro em conselhos regionais de Medicina (CRMs).

Também foi apontada a inscrição de 1.270 médicos residentes, que terão de formalizar o desligamento de seus programas de especialização antes de homologar sua participação no Mais Médicos.

Todos os médicos brasileiros têm até a meia-noite de domingo para sanar eventuais inconsistências e concluir, por meio do portal www.saude.gov.br, a entrega de documentos. Eles também terão de indicar seis opções de cidades, entre as 3.511 participantes, onde desejam trabalhar.

Nesta lista, eles apontarão, em ordem de preferência, uma opção entre cada dos seguintes grupos: capital; município de região metropolitana; bloco de 100 municípios de maior vulnerabilidade social; cidades cujo índice de extrema pobreza supera 20% de sua população; e distritos sanitários indígenas. A sexta opção estrará entre as cidades que não estão nestes perfis.

Como definido desde o lançamento do Mais Médicos, os brasileiros terão prioridade no preenchimentos dos postos apontados. Os remanescentes serão oferecidos a primeiramente aos brasileiros graduados no exterior e em seguida aos estrangeiros. Entre os 18.450 profissionais inscritos, 1.920 se formaram no exterior, em 61 países distintos.

Em 1º de agosto, será divulgada a relação de médicos com CRM válido no Brasil e a indicação do município designado para cada profissional.  Os profissionais terão de homologar a participação e assinar um termo de compromisso até três de agosto. Dois dias depois, as escolhas serão publicadas no Diário Oficial da União.

SOBRE O PROGRAMA

Lançado pela Presidenta da República, Dilma Rousseff, no dia 8 de julho, o Mais Médicos faz parte de um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), com objetivo de acelerar os investimentos em infraestrutura nos hospitais e unidades de saúde e ampliar o número de médicos nas regiões carentes do país, como os municípios do interior e as periferias das grandes cidades.

Os médicos do programa receberão bolsa federal de R$ 10 mil, paga pelo Ministério da Saúde, mais ajuda de custo, e farão especialização em Atenção Básica durante os três anos do programa.

O Governo Federal está investindo, até 2014, R$ 15 bilhões na expansão e na melhora da rede pública de saúde de todo o Brasil. Deste montante, R$ 7,4 bilhões já estão contratados para construção de 818 hospitais, 601 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs 24h) e de 16 mil unidades básicas. Outros R$ 5,5 bilhões serão usados na construção, reforma e ampliação de unidades básicas e UPAs, além de R$ 2 bilhões para 14 hospitais universitários.

Fonte: CONASEMS

Programa de Inclusão Digital dos conselhos de saúde – PID

banner_pidO Programa de Inclusão Digital dos conselhos de saúde – PID, que foi instituído em 2007 como resultados das Conferências Nacionais de Saúde e tem como objetivo, contribuir para que os conselheiros nacionais, estaduais e municipais de saúde se apropriem de informações e adquiram habilidades para comunicação indispensáveis ao exercício do controle social, por meio do acesso a equipamentos de informática e estabeleçam de rede de intercâmbio entre os Conselhos de Saúde.

Estão contemplados no Programa o recebimento de uma TV para cada conselho de saúde e após recebimento será instalado pela equipe da Oi uma antena e decodificador será instalada em regime de comodato e não tem nenhum custo para o município, devendo o gestor apenas manter o espaço físico e as condições de funcionamento do conselho de saúde.

Algumas informações extraídas do folder anexo:

  • SGEP/MS estabeleceu acordo com OI, para criação de atendimento especial por meio do atend_orgpub@oi.com.br para todos os conselhos inseridos no Programa, podendo ser acionado para esclarecimento de dúvidas relativa à instalação e assistência junto à OI. Deve ser informado o conselho demandante, informar que do Contrato MS, telefone de contato (com DDD), descrição da solicitação;
  • A instalação do Kit TV, antena e decodificador deve ser realizada no espaço do conselho de saúde e qualquer alteração – mudança deve ser solicitada junto à SGEP-MS para o fax: 61- 3315.8840e/ou pid@saude.gov.br.

A equipe da Oi fará contato com cada conselho para agendamento e instalação da antena e decodificador, sugerimos atenção especial aos documentos anexos e nos colocamos à disposição por meio da equipe do PID em Brasília (61) 3315.3704, 7844, pid@saude.gov.br.

Documentos:

Atenciosamente,

Zenite da Graça Bogéa Freitas
Assessora Técnica
Departamento de Apoio a Gestão Participativa/SGEP/MS
SAF Sul,Trecho 2 Lotes 5/6, Edifício Premium
Torre I, 3 ª Andar Sala 303
Tel: 61 3315.8851, 8853
CEP: 70070-600

Programa Mais Médicos – Dificuldades no acesso ao sistema

[warning]

CONASEMS informa:

Devido às dificuldades encontradas pelos estados e municípios durante o acesso eletrônico ao sistema de inscrição para o Programa Mais Médicos, o mesmo está sendo monitorado pelo Ministério da Saúde – Saúde mais perto de você durante todo o dia para que não haja prejuízo para ninguém que queira de cadastrar.

O caso foi levantado por Conass Nacional e CONASEMS durante a quinta reunião da CIT, que aconteceu hoje. Os dois Conselhos levantaram a hipótese de prorrogação do prazo de inscrição devido aos problemas encontrados pelas pessoas interessadas na inscrição. O MS verificou o caso e relatou que o problema não é do sistema e, possivelmente, de causas externas, como internet do local de onde está sendo acessado e etc. Porém, ficou estabelecido que o sistema será monitorado até 00h de hoje, quando termina o prazo para as inscrições no programa Mais Médicos.

Estamos atentos às solicitações dos municípios. Qualquer dúvida, entre em contato com nosso escritório!

[/warning]